quinta-feira, 5 de novembro de 2015

QUANDO CHEGUEI EM PONTEZINHA HÁ TRINTA ANOS O COCO DE RODA MOVIMENTAVA PONTEZINHA.

CULTURA EM TODOS SEUS SEGMENTOS  TEM QUE SER CULTUADA, AS MANIFESTAÇÕES MAIS POPULARES DE UM LOCALIDADE DEVEM SER INCENTIVADAS E  AMPARADAS EM SEUS MOMENTOS DIFÍCEIS, POIS, SÃO OS PILARES DA HISTÓRIA DE UM POVO. 
As vezes, gestores desprezam algumas manifestações por rivalidades e interesses meramente políticos, por isso os segmentos culturais devem sempre ter á frente pessoa ligada a cultura ou que dela faça realmente parte. Neste contexto o Cabo tem uma pessoa, um filho adotivo que hoje é um marco na defesa da nossa história e cultura. 
Também cultura só tem valor quando distribuída, repassada este artista e promotor cultural  leva nossa cultura de raiz nossa história contada de forma acessível às escolas e ao público geral.
O lançamento do Almanaque do Veio Abidoral, colocou Antônio Sérvulo, um nível acima de muitos fez reviver o amor a música de raiz, o forró, o coco, as expressões culturais mais genuínas, resgatou a memória de grandes artista Cabenses abre portas para os novos, estabeleceu um circulo cultural disposto a mudar a história dos diversos segmentos atingindo até nossa história por monumentos ou locais esquecidos e desprezados parte por desconhecimento da existência por falta de divulgação ou de desrespeito a história. 
Antonio Sérvulo, o Veio Abidoral leva ás escolas os contos, causos e busca o resgate a história artística e cultural do nosso povo. 
A semana de conhecimento foi executada pela organização de corpo pedagógico do colégio Coração de Maria, e contou com a participação de Joca Félix e Abidoral (já citados acima), com palestras sobre o Almanaque como um todo, apresentando aos alunos informações das quais os mesmos nem faziam ideia da existência.
"Essa é a nossa função, o principal objetivo do nosso trabalho, do almanaque e também de outros projetos em que agregamos nosso nome, levar todo o conteúdo histórico-cultural possível para aquele que não conhece, ou não tem acesso ao que já se passou, e formou quem somos hoje, todo o legado deixado em prol de nossa cultura, de nossa sociedade é válida para a formação de novos cidadãos, então entendemos isso como uma obrigação, na busca de levantar essas duas bandeiras importante para a construção de uma sociedade melhor, Educação e cultura são pilares imprescindíveis e estaremos sempre fortes nessa luta, agregando o que temos de melhor ao nosso cotidiano, tão castigado pelo descaso, e falta de reconhecimento de nossas origens."  disse o radialista e produtor cultural, Abidoral. que recentemente foi empossado como novo membro da Academia Cabense de Letras.
O evento teve duração de 5 dias, onde a escola dividiu por segmentos, todos pilares do almanaque, historia, turismo e cultura, dividiram-se entre palestras, aulas passeio, como em Nazaré e na Filarmônica  e o encerramento no auditório da escola modelo de Garapu, no Teatro Luiz Alves Lacerda, tivemos a participação de mais de 400 entre alunos, pais, educadores e responsáveis, foi um dia cheio de cultura e diversão. Agradecimentos não faltaram a todos que participaram e as atrações foram Veio Abidoral, Joca Felix, Castanha, Gerson, Anita, Dau, Toadas de Pernambuco entre outros.
Em defesa da nossa cultura e respeito aos direitos dos nossos artistas o Veio vem unido, revivendo arrastando a cultura cabense para o patamar que lhe é devido. Lá vem o Veio com seu carro de boi.
   Sábado na Sambada de Pontezinha no Palanque do Coco, Centro Cultural Mestre Goitá, vamos ouvir o chiado do carro de boi.  


         

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.