sexta-feira, 17 de julho de 2015

POVO DE SANTO ANTONIO DA PLATINA - PARANÁ,  UM EXEMPLO PARA O BRASIL
CIDADÃ DE PLATINA SÓ ENCARA VEREADORES QUE DESEJAM AUMENTAR SEUS PRÓPRIOS 

SALÁRIOS E O DO PREFEITO, AINDA ADMOESTADA POR SERVIDOR DA CASA, PROVÁVEL BABA 

OVO DE VEREADORES, DEU O TROCO NO DIA SEGUINTE (DIA DA VOTAÇÃO) INFORMADA 

PELAS REDES SOCIAIS DAS PRETENSÕES DOS NOBRES E DEDICADOS VEREADORES A 

POPULAÇÃO LOTOU AS GALERIAS DA CÂMARA, RESULTADO; NA FRENTE DO GATO TODO 

RATO SE BORRA, AS ILUSTRES "IMCELENZAS" NÃO SÓ VOLTARAM ATRÁS NO AUMENTO COMO

 REDUZIRAM SEUS PRÓPRIOS SALÁRIOS. É MELHOR COMER CHARQUE TODOS OS DIAS QUE 

CAVIAR APENAS EM UM. O POVO DE PLANTINA, PARANÁ DEU UMA LIÇÃO DE CIDADANIA AO 

BRASIL. 

A CÂMARA É NOSSA CASA, VEREADORES SÃO INQUILINOS E EM MUITOS CASOS RUINS 



A Câmara Municipal de Santo Antônio da Platina, no norte do Paraná, aprovou nesta quarta-feira (15)


 a redução salarial do prefeito, do vice-prefeito e dos vereadores. Os novos valores passam a valer a 

partir dos próximos mandatos, que começam em janeiro de 2017.

A cidade de 40 mil habitantes possui nove vereadores. O projeto previa inicialmente o aumento do


 salário dos cargos do Executivo e do Legislativo, e chegou a ser aprovado em primeira discussão,

votada na terça-feira (14).

saiba mais


Com queda na arrecadação, prefeito de Mamborê reduz o próprio salário


Porém, no dia da primeira votação, uma empresária se revoltou com o aumento e reclamou com os 


vereadores.

A situação foi registrada em vídeo, e as imagens se espalharam pela internet. A população acabou


 indo em peso à segunda votação, e o projeto inicial de aumento de salários foi alterado.

Valores


De acordo com a emenda do projeto, o salário do prefeito, que iria de R$ 14,7 mil para R$ 22 mil, será


 agora de R$ 12 mil
.
Já o salário do presidente da Câmara, que passaria de R$ 4 mil para R$ 8,5 mil, vai ser de R$ 970. O 


dos vereadores, que subiria de R$ 3,7 mil para R$ 7,5 mil, também será de R$ 970.

A alteração no projeto foi aprovada por sete votos a um. O presidente da Câmara não vota nesses 


casos, conforme o regimento da Casa.

O projeto com a emenda passará por uma terceira votação nesta sexta-feira (17). Após isso, será 


encaminhado para sanção ou não do prefeito Pedro Claro de Oliveira Neto (DEM).
 
SE A MODA PEGA; SEGURA CASA VICENTE MENDES!

Um comentário:

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.