sábado, 14 de abril de 2012

Mais uma vez desculpem as pessoas de fino trato que lêm meu blog!

video
  
Infelizmente, eu não suporto coisas como esta, os nossos dePUTAdos, talvez aceitem por conviver com o resto da corja no PUTEIRO NACIONAL, mais eu não sou obrigado a chamar estes safados de excelências  se for, mesmo assim não chamo, danem-se.

É uma cambada de FDP, porém mais ainda são os que ficam brigando e discutindo, babando os ovos de uma laia da pior espécie, veja o que nosso povo elege para dirigir os destinos deze paiz!

Alguém sabe onde fica PERNAMBUCO?

PRESSÃO SOCIAL INVIABILIZA USINA SUJA NO CABO - MATÉRIA NO "DE OLHO NO FUTURO"




SOBRE A MATÉRIA O COMENTÁRIO:

Seu comentário está aguardando moderação. - 14/04/2012 - 10:02
Esta é a prova concreta: Se o povo fosse realmente unido em defesa dos seus interesses, e o dinheiro é, visto, que até agora (este ano, 03 meses) já pagamos mais de 400 bi em impostos. E para onde foi este dinheiro?
Serviu para pagar 18°s salários a cabras safados nos três poderes da república. As riquezas do povo brasileiro é doada (vendida a pessoas que visam apenas lucro). O mentiroso chefe da quadrilha, fez milhares de horas de propaganda sobre o pré sal, a salvação do Brasil hoje se sabe, os que não são cegos e que não acreditam em papai noel e duendes, que esta riqueza deixou de ser do povo brasileiro graças a … Ildo Sauer denuncia como José Dirceu entregou o Pré-Sal para Eike Batista (Parte final – Os leilões dos campos da Petrobras)
E todos sabem: Foi um acordo que chegaram a fazer, numa conversa entre Pedro Malan, Rodolpho Tourinho e a então ministra-chefe da Casa Civil (Dilma), em novembro, antes do leilão. O Lula chegou a concordar, segundo disse o pessoal do MST e os sindicalistas, em acabar com o leilão. Mas esse imbróglio, de o empresário ter gasto dezenas de milhões de dólares para recrutar equipe e apoio político nos dois governos fez com que eles mantivessem… Tiraram o filé-mignon, mas mantiveram o contra-filé. O contra-filé é alguém que hoje anuncia ser o oitavo homem mais rico do mundo.
E tudo foi mediante essa operação no seio do governo. Contra a recomendação dos técnicos da Petrobras, do Clube de Engenharia, do sindicalismo. Foi a maior entrega da história do Brasil. O ato mais entreguista da história brasileira, em termos econômicos. Pior, foi dos processos de acumulação primitiva mais extraordinários da história do capitalismo mundial. Alguém sai do nada e em três anos tem uma fortuna de bilhões de dólares. (Quem seria?)
Por isso digo: A forma do povo exercer seu poder era através do voto, como até da tribuna da câmara um deputado enfiou na cara do presidente em exercício lacres para as eleições que viriam já assinadas pelo juiz da zona, este poder é duvidoso. O povo não pode esperar que bandido julgue bandido. Julgando Demóstenes a maioria responde processos, o que se pode esperar? Nas próximas eleições quantos candidatos estão curvados com o peso dos processos nas costas e ainda posam de honrados. Não! O voto no Brasil não pode ser aceito como a vontade do povo. Porém, todo bandido um dia erra. Todos que se apoderaram do poder vendendo ilusões estão agora se digladiando por ele, e em disputa de gente sem honra, moral e ética, só se pode esperar traição e será destas traições que se abrirá uma brecha que levará todo povo a saber e ter certeza que foi enganado por longo tempo, então será o salve-se que puder.
Um dia este povo que só vê futebol, carnaval, mulher pelada e BBB acordará, o gigante um dia acordará, o gigante não é o Brasil, é o povo brasileiro

sexta-feira, 13 de abril de 2012

O politiquês das quengas de Brasília
está traduzido em letra ""azul, azul cor de anil""
PONTE QUE OS PARTIU!
‘Alcance da CPI põe PT em colisão com PMDB’ - PUBLICADO NO ESTADÃO DESTA QUINTA-FEIRA - CHRISTIANE SAMARCO E EUGÊNIA LOPES

Um dia depois de anunciar a criação de uma (MAIS UMA!) Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar as ligações políticas do contraventor Carlinhos Cachoeira, o Congresso e o Palácio do Planalto tomaram um susto com o alcance das investigações, que ameaçam expoentes do governo, a oposição, dentro e fora do Executivo, em Brasília e nos Estados, e pode atingir uma forte doadora de campanha do PMDB e com negócios em vários Estados: a Delta Construções. Pensaram em fazer marola, deram de cara com um tsunami e nem lembraram que seria necessário levar ao menos uma bóia.

Com isso, PMDB e PT entraram em rota de colisão. Apesar do clima de arrependimento, no entanto, já não havia espaço para brecar a CPI. “Agora não dá mais para segurar. Avançamos demais, e não tem retorno”, avisou o líder do PMDB no Senado, Renan Calheiros (AL), a petistas que ensaiavam um recuo ontem.
“Eu avisei… Esses caras são irresponsáveis”, desabafou o presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), que na véspera recebera em seu gabinete o presidente da Câmara, Marco Maia (PT-RS), para propor a criação de uma CPI mista das duas Casas do Congresso.Para nós, ser irresponsável é fazer as tramóias que os políticos fazem. Mas, para José Ribamar (Sarney) ser desonesto não é problema, ser irresponsável é facilitar a descoberta de suas patifarias.
“Estamos numa enrascada que não tem fim”, queixou-se ontem um dirigente do PT, defendendo a tese de que é preciso dar um jeito de “melar” a CPI. Precisamos acabar com essa CPI, senão ficará mais difícil explicar tanta sacanagem.

O líder do governo no Congresso, senador José Pimentel (PT-CE), disse que a única alternativa para reduzir o estrago, a esta altura, é limitar o objeto da CPI ao senador Demóstenes Torres (sem partido-GO) e à arapongagem. Vamos voltar o tiroteio em direção ao ___óstenes, para livrar nossa cara (de pau).Enquanto os petistas reclamavam da falta de articulação do Planalto, que deixou a CPI correr frouxa, aliados diziam que só voltam atrás se houver um pedido público da presidente Dilma Rousseff. Ou seja, o governo serve, mesmo, é para encobrir a libertinagem nacional .

“Ninguém queria ficar com o ônus da recusa (a imagem de decência é obrigação) e a ideia da CPI acabou vingando no jogo do deixa que eu deixo”, diz o senador tucano Cássio Cunha Lima (PB). “O governo não acreditava que topássemos e nós não achávamos que ele levaria isso adiante.” Pois é... eles toparam, o governo levou adiante e agora quem se fingia de bom moço vai mostrar que não passa de um meliante da pior espécie.

‘Vingança’
Quando a CPI começou a ser discutida, os alvos eram o governador de Goiás, Marconi Perillo (PSDB), e o senador Demóstenes ─ em grande parte porque o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva busca uma espécie de “vingança política” contra Perillo.

Essa gente esquece que um dia a casa cai.
Ou será que eles pensam que ficarão nessa mamata a vida inteira?

O resto dessa "pornografia" no endereço abaixo:
Mas, afinal, porque tanto nervoso?
Será que eles acreditam, mesmo, em CPI?
NÃO CUSTA NADA ACREDITAR!


domingo, 8 de abril de 2012

FESTA DA LAVADEIRA!

A festa da Lavadeira começou a acabar no início das obras do pólo turístico do Paiva, desde o início estava claro que o Brasil de hoje é excludente e divisionário. O Paiva inclusive a praia é para os milionários. Pelo complexo, pobre só passa por ainda existir algumas leis naquele livrinho falsificado e modificado cada vez que um grupo de deputados, senadores ou presidente da república precisam alterá-lo para conseguir alguma coisa, a constituição brasileira é mutável, adaptável, ela tem que se adaptar aos interesses mercadológicos, por estas linhas que ainda restam é que o pobre continua passando, breve não!

Como não sou advogado (espie, só estudei até o médio), seria interessante consulta ao livrinho para saber até que ponto aos olhos dos direitos ambientais as construções do Paiva são inconstitucionais visto que em alguns pontos impedem o livre acesso dos cidadãos nativos à praia e consequentemente ao mar, ambas, propriedade de todos os brasileiros e não apenas de brasileiros e estrangeiros milionários.
A Festa da Lavadeira é um marco cultural, é livre manifestação popular de suas alegrias, comportamentos e religiosidade de raiz.
A mudança e aceitação do endereço da festa para um local desprovido de qualquer sentido (visto a religiosidade alma da festa) descaracterizam o evento.

Idealizador (es), organizadores, apoiadores, freqüentadores, porque não se levou a Festa para a beira mar de Itapuama, exigindo dos milionários investidores do Paiva a mudança de tudo (físico) que tivesse relação com a religiosidade da festa, se iriam gastar dinheiro comprando imóveis, construindo uma nova casa da lavadeira e ao seu redor abrindo um espaço a beira mar com as mesmas dimensões que a festa ocupava.
Os incomodados são os milionários, empreendedores, investidores e todos que ganharam muito com concessões de licenças ambientais, então que em contrapartida, providenciem um espaço (Itapuama-Xareu-Gaibu), em respeito ao povo, seus valores culturais e religiosos.
Um espaço cultural permanente, visto que a Festa da Lavadeira é profano/religiosa, nada impediria que este espaço servisse a todos os eventos, Grandes shows, Natal, São João, carnaval, criando-se a Ass. Cultural Festa da Lavadeira – responsável pelo Pátio de Eventos (Nome escolhido pelo povo, político não pode, não vai se encontrar um que mereça).
A Ass. Se manteria com os valores arrecadados por eventos, uma subvenção da prefeitura e do governo do Estado, já que ambos estão juntos nessa empreitada, e o Pólo Paiva entraria com outra parte, todas com valores determinados instituídos por lei e reajustados anualmente por índices oficiais.
Os responsáveis pela Associação seriam eleitos a cada dois anos sendo que: faltando três meses para completar o período, fosse efetuada a eleição dos novos dirigentes e estes, (os novos) fariam uma devassa financeira e patrimonial na Associação acompanhados por representantes do MP, Prefeitura, Governo do estado (TCE) e indicado pelo Complexo Paiva.
Com isso se evitaria o que acontece com as prefeituras e governos, sempre que um sai o que entra diz que recebeu um buraco, que só será identificado pelo TCE, dez anos depois quando o safado já terá roubado por mais tantos anos que poderá pagar o que foi desviado com o produto do roubo.
A Ass. Também disporá em seu estatuto a possibilidade do Recall, se 5% dos que elegeram uma diretoria se pronunciarem exigindo nova eleição esta será feita, o resto segue o que reza a maioria dos estatutos.
Porém, tendo em vista que o povo não conhece seu direito, não reconhece que todo poder emana dele para ele e por ele é exercido, fazer o que?