quarta-feira, 16 de maio de 2012

MATÉRIA PARA ALEGRAR PETISTA E ALIADOS, A ESTES CUIDADO, JOGADA NO VENTILADOR ELA RESPINGA!

Coletânea- Notícias que vão deixar em êxtase todos os PeidisTas  do Brasil

O FDP do chefe da quadrilha, mais uma vez quebrou a cara, acho que dessa vez se achando, (porque pode, visto que a grande maioria imbecilizada deze paiz, acha esta mula uma sumidade) a cocada branca em tabuleiro de brigadeiro, que pode tudo, manda em tudo, manipula tudo, inverte todos os valores, grita, peida, se mixa todo, se embriaga e a manada acha lindo, extrapolou! - NOTA DO AUTOR DESTE BLOG 


Procurador contra-ataca e acua PT. Julgamento do Mensalão fica mais definido.
Os ataques dos deputados do PT ao Procurador Geral da República, Roberto Gurgel, escracharam a já denunciada estratégia política imaginada por Lula, que é a de desconstruir simultaneamente o Ministério Público Federal, o STF e a mídia do Brasil, visando embolar
o julgamento da quadrilha despudorada do Mensalão.
  É jogo pesado.
  Acontece que Lula e o PT esqueceram de combinar a jogada com os russos.
. Nas últimas horas, o que aconteceu foi uma reação unificada do MPF,STF e imprensa do Brasil, reforçando a posição institucional de que por trás de tudo está a necessidade de defender as liberdades constitucionais, portanto o estado democrático de direito.
 “Eles estão é morrendo de medo de que comece logo o julgamento do Mensalão”, reagiu Roberto Gurgel, quando soube dos ataques dos deputados do PT, Cândido Vacarezza à frente.
O editor tem batido invariavelmente na tecla de que o PT e seus dirigentes querem unicamente usar a liberdade para acabar com a liberdade. Eles nunca possuíram e não possuem compromissos com o tipo de democracia protegida pela Constituição de 1988.
Aliás, Lula,constituinte de 88, e seus deputados, negaram-se a assiná-la. Até este momento, a estratégia política lulista e petista só produziu efeitos contrários, porque resultaram reforçadas as posições do Procurador Roberto Gurgel e dos ministros do STF, agora mais dispostos do que nunca a julgar os a mais assombrosa quadrilha
organizada para corromper mentes e bolsos de congressistas e eleitores.
O texto a seguir é para ler, estudar e passar adiante:
 
Artigo, Reynaldo Azevedo - Lula está com ódio selvagem no coração. Ele sabota a democracia para implodir o julgamento do Mensalão.
 - Lula está doente, muito doente, mas sua doença não é apenas física, porque o ex-presidente introjetou ódio selvagem no coração e conspira 24 horas por dia com o seu Partido, o PT, para sabotar o estado democrático de direito, que ele não quis sequer homologar através da assinatura que negou á Constituição de 1988. O ódio de Lula nasce do
desmascaramento do Mensalão, cuja chefia foi sua, mas que por covardia política jamais aceitou com sendo obra própria, preferindo por isto sacrificar seu valete preferido, o ex-ministro Zé Dirceu. Lula joga tudo ou nada para evitar o julgamento do Mensalão, usando para isto a ferramenta da CPI e a maioria que julga poder manipular para fazer o que quer. Sobre tudo isto trata o artigo a seguir do jornalista Reynaldo Azevedo, da revista Veja,  que analisa com profundidade a  caricatura em que se transforma a cada dia o grande timoneiro que presidiu por oito anos o Brasil. Leia com atenção.
 Lula tenta instrumentalizar essa CPI para realizar a obra que não conseguiu realizar quando era presidente: destruir de vez a oposição, botar uma canga na imprensa e “passar a história a limpo”, segundo o padrão do revisionismo petista. Mas a democracia — e ele tantas vezes
foi personagem minúscula de sua construção, quando poderia ter sido maiúscula — não vai deixar.

Não conseguirá arrastar as instituições em seu delírio totalitário. Tenham a certeza, leitores: por mais que o cerco pareça sugerir o contrário, esse coro do ódio é expressão de uma luta perdida. E a luta foi perdida por eles, não pelos amantes da democracia.
 
POLIBIO BRAGA <polibio@polibiobraga.com.br>
grupopodemais@gmail.com

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.