segunda-feira, 31 de outubro de 2011

DIFÍCIL, MUITO DIFÍCIL!

COMEÇOU A TEMPORADA DE BAIXARIAS, COMO SE AS PALAVRAS DITAS E ACUSAÇÕES FEITAS TROUXESSEM À LUZ ALGO QUE NÃO SABEMOS MESMO BEM MOÍDO NÃO SE CONSEGUE TIRAR NADA QUE PRESTE E DEIXAM À MOSTRA UM CERTIFICADO DE INCOMPETÊNCIA E ÉTICA MUITO VALORIZADO NO IMUNDO MUNDO DA POLÍTICA
Blog do Batista Neto

“Elias Gomes traiu Miguel Arraes em troca de um projeto pessoal”, atacou, Paulo Farias

Publicado 29 de outubro de 2011 | por Batista Neto

Paulo Farias
Paulo Farias
Há um pouco menos de um ano para as eleições municipais, dois líderes partidários elevam a marca do termômetro político e criam noções pessoais dos dois adversários políticos da cidade do Cabo: Lula Cabral (PTB) e Elias Gomes (PSDB).
Ontem, 28, recebemos o vice-presidente do PSD na redação deste Blog, e o mesmo fez declarações que colocam a índole do prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes, e do presidente do PSDB da cidade do Cabo, Elmo Freitas, em xeque.
Em suas declarações, Farias disse que Elmo Freitas “não tem condições nem moral de discordar de Elias Gomes. Porque ele é e sempre foi um subalterno, submisso e subserviente. Elmo não pode, sequer, pensar, porque até para pensar, Elias pensa por ele”, atacou, incisivamente, Farias.
Paulo afirmou que Elias responde há vários processos, inclusive o de improbidade administrativa. “Elias por onde passou responde a processos. Seja em Fernando de Noronha, no Cabo e na Secretaria de Justiça do Estado”.
Elmo, por sua vez, atacou Farias declarando que o mesmo “não tem credibilidade. Pois já abandonou Lula Cabral”. Rebatendo a essa declaração, Paulo disse que “discordar, mudar e romper é natural em política. Elias Gomes foi líder da bancada do PMDB na Assembleia Legislativa de Pernambuco quando era deputado estadual, em 1990. Em 1993 incentivou o PMDB a lançar candidatura própria, com Cid Sampaio. Em 1994 abandonou o PMDB e apoiou Miguel Arraes em troca da administração de Fernando de Noronha. E, enquanto Arraes esteve no poder, Elias Gomes, por conveniência, manteve-se aliado ao governo de Arraes. Quando Miguel Arraes deixou o governo, Elias Gomes abandonou o barco (Miguel Arraes) e foi para o PPS, em 2005. Traiu os partidos de esquerda e apoiou Mendonça Filho contra o neto de Miguel Arraes, e então governador, Eduardo Campos. Ele traiu Eduardo Campos em troca da secretaria de justiça para abrigar seus asséclas como, por exemplo, Elmo Freitas”.
Continuando, de forma altiva, “Elias Gomes traiu Arraes em troca de um projeto pessoal de poder, e por essas traições, Arraes morreu sem falar com Elias Gomes. Hoje, ele (Elias) vive se oferecendo e pedindo apoio a Eduardo Campos. No entanto, o governador sabe do seu histórico de traições. E no mesmo caminho se comporta seu filho, o deputado estadual Betinho Gomes. Que na política local (Cabo), faz e incentiva críticas a Eduardo Campos. Ao mesmo tempo vive se insinuando e se oferecendo a ele (Eduardo)”.
Finalizando suas declarações, Paulo Farias defende o secretário de governo, Luiz Pereira. “Luiz Pereira não responde a nenhum processo de improbidade administrativa, enquanto Elias Gomes tem várias nas costas”, finalizou os ataques, Paulo Farias.

ALGUÉM CAPTOU O CERNE DO EMBATE?
UM CARGO ELETIVO, AFINAL SE VISLUMBRAM DOIS NOMES PARA A VEREANÇA LOCAL.  

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.