sábado, 24 de abril de 2010

Mais gritos em defesa do meio ambiente!


Mangue pede socorro –Pernambuco.com


Recife // Novas ocupações nas margens do Rio Capibaribe ameaçam o que restou do ecossistema



A presença imponente em alguns trechos do centro do Recife concede a impressão de que tudo está sob controle. Mas, não muito longe, o mangue pede socorro. Novas ocupações na beira do Rio Capibaribe, no bairro de Joana Bezerra, crescem a olhos vistos e, junto com outras ameaças, desmatam o que restou do manguezal na cidade. Um cenário local e global. A mais recente atualização da Lista Vermelha de Espécies Ameaçadas, divulgada no início do mês, incluiu os manguezais pela primeira vez. É como se mais de uma em cada seis espécies pudesse desaparecer. Um saldo preocupante. Seria a perda de uma floresta menos falada, porém mais eficiente na purificação do ar e no controle da linha de costa (avanço do mar) do que a mata atlântica ou a Amazônia.



O sinal vermelho foi dado pelas organizações não-governamentais IUCN e Conservação Internacional (CI), que conduziram os estudos para a atualização da lista. Nas análises, os maiores especialistas em manguezais no mundo consideraram que o perigo de extinção foi provocado, em parte, pelo desenfreado desenvolvimento urbano em regiões litorâneas e costeiras. Também foram citados como culpados o desmatamento originado pela agricultura, carcinicultura (cultivo de camarão) e outros fatores, como poluição das águas e aquecimento dos oceanos. A conclusão mostrou que as áreas mais afetadas mundialmente são a costa Atlântica e Pacífica da América Central, com 40% das espécies ameaçadas de extinção.



As espécies encontradas no Brasil e em Pernambuco, que abrigam respectivamente uma área de 25 mil quilômetros quadrados e 270 quilômetros quadrados, permanecem fora da lista vermelha. Ainda. "Estar na lista é muito ruim. Mas não está significa que há tempo para termos a responsabilidade de assegurar a integridade desse ecossistema", afirmou o biólogo Rodrigo Moura, da CI. Ele ressaltou que a situação mais crítica se encontra no Nordeste do país por ser uma região naturalmente com áreas menores de manguezais e que já sofreu muita pressão urbana e, em especial, da carcinicultura.



O biólogo e professor da Universidade de Pernambuco (UPE), Clemente Coelho Júnior, destacou que não é possível quantificar a área desmatada no estado por conta da carência de estudos. Mas alerta que é seguro estimar uma perda superior a 50% na Região Metropolitana do Recife (RMR). Uma vegetação, acrescentou, que fará falta nos serviços ambientais prestados pelo manguezal. "Além de ser berçário para uma infinidade de espécies comerciais, o mangue atua como filtro biológico, reduzindo as enchentes e controlando o avanço da linha de costa", destacou. O rápido potencial de crescimento da vegetação também faz do ecossistema um forte aliado no sequestro de carbono, tão falado em tempos de aquecimento global.



Projeto - Na última semana, a aprovação do projeto de lei nº 1496, na Assembléia Legislativa de Pernambuco (ALEPE), provocou atos de protesto entre os ativistas ambientais e pescadores. As queixas foram motivadas pela autorização do desmatamento de 1.076 hectares, sendo 893,4 de mangue, 17,03 de mata atlântica e 166,06 de restinga. O total é semelhante à área de mil hectares de mangue. Apesar dos protestos, o procedimento é previsto em lei em caso de obras de utilidade pública ou interesse social, mediante decreto do governador. O projeto foi encaminhado pelo governador Eduardo Campos, mediante a compensação do desmate em outra localidade. Mas a necessidade de desmate e o replantio também são questionados pelos ambientalistas.

COMENTÁRIOS:

Certamente, todos aqueles que acompanham o desenvolvimento urbano, com a utilização de áreas de manguezais, concordam com o Carlos Alberto. Um dos maiores inimigos dos manguezais de Pernambuco é o Grupo JCPM, com exemplos como os Shopping Recife, Tacaruna, Guararapes, e mais o Hiper de Boa Viagem e agora os mais novos empreendimentos na "Via Mangue", sem mangues, Shopping RioMar e Le Parc Boa Viagem. Todavia, se a Prefeitura do Recife, Agência de Meio Ambiente e Marinha do Brasil corroboram com esses empreendimentos, então o Grupo JCPM não é o único responsável pelo impacto ambiental nos manguezais de Pernambuco. Infelizmente, desenvolvimento não anda lado a lado com a preservação ambiental, ou seja, não há responsabilidade ambiental efetiva por partes dessas entidades, bem exemplificou também Suape, que se tomar o exemplo de Cingapura, que realizou várias obras de aterramento do mar durante sua história (130 km quadrados de mar não mais existe), aqui haverá mais devastação das únicas poucas áreas de Mata Atlântica, além do impacto no ambiente marinho. Pergunta: Onde foi parar todos os metros cúbicos de água do mar de Cingapura e outros lugares ao redor do mundo? Depois falam que o degelo polar é o único culpado pelo aumento do nível do mar... e claro todo o litoral brasileiro sofre com isso! Quem mora no Janga e em Piedade sabe como é tal problema!" SIDCLEY FERNANDES DA SILVA



"E mais mangue será devastado muito em breve. Como se já não bastasse a devastação que ocorre em Suape, teremos agora Um Shopping Mangue (Beira Rio). De discurso ambiental já estamos cheios, queremos ações!!!" Carlos Alberto



O governo do estado em parceria com a CPRH, deputados e os interesses financeiros, vão destruir tudo em nome do progresso.

A CPRH sem o menor respeito a sua principal obrigação (proteção ambiental) se curva aos interesses sem o menor escrúpulo.

Apresenta EIA/RIMA baseada em dados de dez anos atrás, o governador manda projeto de lei para a assembléia os ilustres representantes do povo aprovam muitas vezes sem ler (caso da aprovação para supressão de 10 km de mangue na foz do rio Jaboatão para construção da Vicinal BR101 – Pontezinha – Barra de Jangada), destrói para passagem de tubos do projeto Pirapama, para mais estaleiros, estradas etc., etc.

Ninguém é contra o progresso mais quais serão as conseqüências de tanta destruição, todos sabem; a natureza é caprichosa não pode se defender da sanha dos homens mais sabe cobrar como ninguém, e que enorme dívida deixaremos.

Estamos em ano de eleições vamos ouvir muitos deputados gritando que são defensores da natureza, o meio ambiente tem que ser preservado, mais assina projetos de lei de destruição em quantidades e velocidade nunca vistas e com um descaramento impressionante cobram providências.

Estamos na contra mão da humanidade, os que já são vítimas deste mesmo processo, progresso custe o que custar já sente o alto preço que pagará.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.