domingo, 8 de novembro de 2015

ONTEM PRESENCIEI E FIQUEI MUITO ORGULHOSO POR DUAS AMIZADES QUE TENHO - JOÃO DE GOITÁ E ABIDORAL



 Homens incansáveis, soldados que não se rendem ante todas as dificuldades que lhes aparecem, que parecem encontrar luz mesmo quando a escuridão se esforça pelo contrário, homens com metas, sonhos e projetos. Homens que apesar das dificuldades se doam em prol do que amam de alguma coisa que tenha para eles sabor de vida plena, baseados e fincados em suas raízes mais profundas, homens dedicados a preservar o que acham proveitoso na formação cultural de um povo e de uma comunidade. Abidoral hoje já pode ser considerado o maior guerreiro na preservação das manifestações culturais da nossa cidade. Em Pontezinha o Coco de roda, uma das riquezas culturais de nossa terra, foi ao longo dos anos, apesar de contar com valorosos, defensores, hoje não representa um terço do que já foi em Pontezinha. O Coco em Pontezinha era como uma marca. 

Prova maior é que até hoje, mesmo com o nome, Centro Cultural Mestre Goitá, nunca deixou de ser o palanque do Coco. Era nesse espaço, quase sagrado para estes homens e mulheres o transformaram num atrativo onde cultuavam suas raizes. Políticas erradas que nunca valorizam as manifestações culturais de raiz, aliadas a sementes de discórdia e desunião da comunidade, permitiram que esta manifestação popular quase desaparecesse, os Grandes Mestres, Antenor, Zezinho, Goitá e Soares não apenas o defenderam, plantaram sementes tão profundas que apesar da falta sensibilidade das autoridades ligadas á cultura em nosso município não conseguissem destruir o legado. Hoje jovens aliam-se aos guerreiros e empunham o escudo da cultura apesar da falta de incentivo. 


João de Goitá amigos e seguidores lutam para manter viva esta manifestação tão querida por grande parte do povo pernambucano e muito em Pontezinha. Como guerreio da cultura nordestina e cabense, Abidoral forma nas fileiras deste grupo de guerreiros e todos sabemos, quando se luta, cada um que some vale muito e se este um, já abraça a luta pelo engrandecimento e reconhecimento da importância das manifestações populares que são na verdade a identidade de um povo e parte de sua história,  o rumo da guerra pode mudar.

 Ontem durante a Cocada de Pontezinha, Abidoral, produtor cultural, radialista, amante de tudo que se refira a cultura nordestina e principalmente pernambucana visitou o palanque por um lado triste por ver tão forte manifestação estar enfraquecida no entanto, revigorado ao ver o grande número de crianças e jovens que brincam o coco, formando assim, bastando para isso  sensibilidade das autoridades ligadas à cultura seja em âmbito municipal, estadual ou federal, uma nova frente para expansão e preservação deste folguedo popular tão identificador das origens de um povo.
Que se unam João de Goitá e Abidoral quebrem as barreiras das disputas e rompam os elos que prendem tudo que se deseja fazer ao poder e as vontades de gestores que até hoje se mostram incapazes e desinteressados em manter viva esta cultura.
Parabéns a João de Goitá pela luta em Pontezinha e a Abidoral por tudo que tem feito pela cultura no município. É uma guerra onde cada pingo d'água tem que se tornar maremoto,  portanto, unam-se pingos e transformem esta gota d'água em tsunami .  
    


Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.