domingo, 26 de janeiro de 2014

UMA SOLUÇÃO ESPETACULAR! OS BENFEITORES AINDA PODEM SER BENEFICIADOS, BOA COMPANHIA NÃO TEM PREÇO.


INDISCUTIVELMENTE, UMA EXCELENTE SUGESTÃO DO DESEMBARGADOR MINEIRO. 
Só que a maioria de nossos MAGISTRADOS não têm
COLHÕES
ROXOS
para PROCEDER dessa maneira.
 

 
PRESTE   ATENÇÃO.

A Folha de SP, hoje, publica carta minha, onde ironizo os “baluartes” dos direitos humanos. Agora, com o morticínio de presos no Maranhão, jornalistas e intelectuais “engajados” escrevem e opinam copiosamente sobre a questão carcerária e os direitos fundamentais. 


São como urubus, não podem ver uma carniça.<br>
 
Quando eu era juiz da infância e juventude em Montes Claros, norte de Minas Gerais, em 1993, não havia instituição adequada para acolher menores infratores. Havia uma quadrilha de três adolescentes praticando reiterados assaltos. A polícia prendia, eu tinha de soltá-los. 


Depois da enésima reincidência, valendo-me de um precedente do Superior Tribunal de Justiça, determinei o recolhimento dos “pequenos” assaltantes à cadeia pública, em cela separada dos presos maiores.
 
Recebi a visita de uma comitiva de defensores dos direitos humanos (por coincidência, três militantes). Exigiam que eu liberasse os menores. Neguei. 


Ameaçaram denunciar-me à imprensa nacional, à Corregedoria de Justiça e até à ONU. Eu retruquei para não irem tão longe, tinha solução. Chamei o escrivão e ordenei a lavratura de três termos de guarda: cada qual levaria um dos menores preso para casa, com toda a responsabilidade delegada pelo juiz.
 
Pernas para que te quero! Mal se despediram e saíram correndo do fórum. Não me denunciaram a entidade alguma, não ficaram com os menores, não me “honraram” mais com suas visitas e ... os menores ficaram presos.
 
É assim que funciona a “esquerda caviar”.
 
< div>Abs.
 
“ROGÉRIO MEDEIROS GARCIA DE LIMA, desembargador (Belo Horizonte, MG”.

Folha de São Paulo, 10 de janeiro de 2014, Painel do Leitor

“Direitos humanos“
 
Tenho uma sugestão ao professor Paulo Sérgio Pinheiro, ao jornalista Janio de Freitas, à ministra Maria do Rosário e a outros tantos admiráveis defensores dos direitos humanos no Brasil.
Criemos o programa social "Adote um Preso". 

Cada cidadão aderente levaria para casa um preso carente de direitos humanos. Os benfeitores ficariam de bem com suas consciências e ajudariam, filantropicamente, a solucionar o problema carcerário do país. 
Sem desconto no Imposto de Renda.



“ROGÉRIO MEDEIROS GARCIA DE LIMA, desembargador 
(Belo Horizonte, MG)”.
  
VAMOS DIVULGAR, GENTE!!!!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.