quarta-feira, 20 de fevereiro de 2013

MAIS UMA VEZ O SUPREMO TRIBUNAL FEDERAL É POSTO À PROVA

NÃO TEM COMO FUGIR DO DESTINO, OU OS MINISTROS PUNEM OU SERÃO TAXADOS DE CONIVENTES COM A BANDIDADEGEM.
AGORA VEREMOS A VERDADE: BATMAN OU CORINGA DESFARÇADO
 A Carta que acaba de ser entregue no STF, nesta quarta, dia 20, foi assinada pelos representantes das entidades que fizeram a petição por um presidente ficha limpa no Senado (Movimento 31 de Julho e Rio de Paz), pelo Emiliano Magalhães, autor da petição pelo impeachment de Renan Calheiros, e também pelo deputado Chico Alencar (PSOL) e pelos senadores Pedro Simon (PMDB), Cristovam Buarque (PDT), Randolfe Rodrigues (PSOL), João Capiberibe (PSB) e Pedro Taques (PDT).

Brasília, 20 de fevereiro de 2013.´

Ao: Excelentíssimo Sr. Ministro Joaquim Barbosa, presidente do STF.
Referência: Denúncia da Procuradoria Geral da República (PGR) contra o Senador Renan Calheiros.

Senhor Ministro:
Submetemos, respeitosamente, à apreciação de V. Exa. o nosso pleito no sentido de acolher e tratar com a devida celeridade a denúncia apresentada pela Procuradoria Geral da República (PGR), contra o Senador Renan Calheiros, que desde 2007 aparece como investigado em inquérito aberto nessa Corte, tanto quanto, permitir tramitação adequada à gravidade do assunto que, segundo fartamente noticiado, envolve crimes de peculato, falsidade ideológica e uso de documento falso, práticas intoleráveis em qualquer homem público, mormente o presidente do Senado Federal.
Fundamentamos nosso pedido na espontânea manifestação expressa por cerca de 500 mil (anexo 1) signatários da petição por nós iniciada na Internet, ao mesmo tempo em que interpretamos os quase um milhão e 600 mil brasileiros (mais de 1% dos eleitores do país) signatários de petição, iniciada pelo Sr. Emiliano Magalhães Netto, versando sobre o mesmo sentimento de indignação social (anexo 2) contra a inadmissível eleição daquele senador para o mesmo cargo do qual renunciou, poucos anos atrás, para escapar de processo de cassação de mandato, sustentado pelas mesmas provas documentais, testemunhais e outras constantes da denúncia ora encaminhada a este Tribunal pela PGR.
Desejamos assinalar que a nossa solicitação a essa Corte reflete a apreensão e a repulsa da população com a constatação de que a demora no julgamento configura efetiva absolvição do acusado, que continuará exercendo um dos mais importantes cargos da República, sem a manifestação da Justiça a respeito das graves acusações da PGR e das dúvidas da sociedade sobre a integridade moral do acusado e de seu compromisso com a causa pública.
Manifestamos também à V. Exa. nosso testemunho de que essa Suprema Corte, recentemente, fez renascer na sociedade a credibilidade na justeza do Poder Judiciário, ao julgar outras pessoas públicas, até então percebidas como imunes ao alcance da Lei, tanto quanto na independência do STF, ao mostrar-se inatingível às pressões externas, mesmo as mais adensadas.
Conforta e revitaliza o retorno à convicção de que o Direito também tem compromisso com a Justiça. Antecipamos nossos gradecimentos pela atenção com que V. Exa. tem distinguido à sociedade no exercício austero, humano e justo de tão singular missão.
Respeitosamente,
Movimento 31 de Julho Contra a Corrupção e a Impunidade: Marcelo Medeiros
Organização Rio de Paz: Antonio Carlos Costa

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.