sexta-feira, 4 de maio de 2012

NEM A IMPRENSA OU OS AMIGOS DA REDE DÃO A DEVIDA IMPORTÂNCIA QUANDO EU DIGO QUE ESTAMOS SENDO ROUBADOS!

APESAR DO MEU ALERTA CONTRA A COBRANÇA DA "CIP" - CONTRIBUIÇÃO PARA ILUMINAÇÃO PÚBLICA, que é feita de baseada numa leizinha safada aprovada na cama, digo; Câmara do Cabo e sancionada pelo então vice prefeito Antonio Medeiros e em vigor até hoje apesar das discrepâncias não se vê mobilização para enfrentamento da situação, NEM MESMO DOS INTERNAUTAS.
Como se não bastasse sermos roubados por esta leizinha safada da época de ELIAS GOMES E MANTIDA A TÉ HOJE, as próprias distribuidoras reconhecem que enfiaram A MÃO EM NOSSOS BOLSOS.
Lembrem-se a questão não é que se cobre R$ 0,02 a mais numa conta é o que representa num universo de 120.000 pagantes.
Não podemos deixar que isso continue acontecendo temos que exigir que o MP, já que nossos vereadores não  sabem sequer por onde começar sem magoar seus chefes, (ou comparsas) a revisão dessa leizinha safada.
Que se pague mais de forma justa, devidamente rateada entre todos os moradores num percentual justo.
Para completar ai esta matéria publicada hoje blog- ALERTA TOTAL, onde se convoca os consumidores a exigir que a ANEEL obrigue as distribuidoras a devolver o que nos roubou.   

MATÉRIA DO ALERTA

sexta-feira, 4 de maio de 2012


Edição do Alerta Total – www.alertatotal.net
Leia também o site Fique Alertawww.fiquealerta.net
Por Jorge Serrão

Depois de tungados, durante pelo menos sete anos, por 63 distribuidoras de energia do País, brasileiros podem ter a chance de receber de volta R$ 7 bilhões cobrados a mais nas contas de luz. A Frente de Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica busca adesões no Twitter e no Facebook para pressionar a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) a ordenar que seja devolvido o que foi indevidamente cobrado.

As distribuidoras de energia já reconheceram, publicamente, em 2010, que obtiveram ganhos indevidos nas cobranças de contas de luz – em função de uma interpretação oportunista de uma cláusula nos contratos de concessão. O triste é que tal tungada, que praticada desde a metade da década de 90, só foi descoberta em 2007 e interrompida dois anos atrás. Agora, um parecer do Tribunal de Contas da União – que não é tribunal, mas órgão auxiliar do Poder Legislativo – deverá recomendar à Aneel que os consumidores sejam ressarcidos.

Centenas de ações judiciais já exigem a devolução dos bilhões de reais cobrados indevidamente. O Instituto Brasileiro de Defesa do Consumidor (Idec), a Fundação Procon SP, a Federação Nacional dos Engenheiros (FNE) e a associação ProTeste encabeçam a briga judicial e criaram a Frente de Defesa dos Consumidores de Energia Elétrica para brigar por uma compensação. Se a pressão der certo, as futuras contas de luz podem ficar menos caras, por um determinado período, para que seja devolvido aos consumidores aquilo que foi injusta e ilegalmente cobrado a mais entre os anos de 2002 e 2009 – pelo menos.

Nas redes sociais, a campanha tem o título: "TCU: O erro não foi nosso. Devolução já!". O objetivo do protesto é juntar o maior número de assinaturas de consumidores em uma petição online. O documento será enviado aos ministros do Tribunal de Contas da União que devem apreciar o caso brevemente. O relator da matéria é o ministro Valmir Campelo. Teme-se um lobby espúrios das empresas do setor elétrico para que o assunto caia em esquecimento...

Leia, no site Fique Alerta, o argumento da petição on line, que pode ser acessada no link: http://www.causes.com/causes/664860-o-erro-nao-foi-nosso/actions/1644359

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.