terça-feira, 24 de janeiro de 2012

Ilustre e heróica promotora!

Esta estrada é longa e cada um tem um padrinho, fazer justiça com esta leis frágeis é o mesmo que dar murro em ponta de faca. O máximo que a senhora conseguirá é fazer que os meninos e meninas trelosos devolvam o que caiu em seus bolsos sem que eles percebecem.
Claro! Isso é muito fácil, possibilta-se alguma verba extraordinária e eles devolvem.
Nem falemos de prisão, colocar um político lá e deixá-lo por mais de setenta e duas horas é tarefa quase impossível no Brasil a não ser que ele tenha tentado (Oh! Meu Deus! Como se pode escrever isto, visto que político não rouba, faz peculato, desvio de verbas etc. etc. mas roubo mesmo, nunca), roubar o Lulla
E pior, esta ação vai durar metade de sua vida, assim de recurso em recurso o crime prescreve e os meninos que ficaram no mesmo lugar fazendo a mesma coisa (com nome diferente), serão eleitos e reeleitos comprando votos com este dinheiro que não se sabe como caiu em seus bolsos. 
Basta mandar buscar os processos em andamento e verá quantos anos já enchem as prateleiras do MP, quem esta preso?  
Matéria retirada do facebook

Edmilson Fonseca24 de Janeiro de 2012 17:59

Ação pede cassação de vereadores

JÚLIA SCHIAFFARINO
juliaschiaffarino.pe@dabr.com.br
Recife, terça-feira, 24 de janeiro de 2012
...
Câmara do Cabo de Santo Agostinho terá que rever diárias. Processo criminal pode resultar em prisão

O Ministério Público (MP) dará entrada na manhã de hoje em uma ação civil contra os vereadores do Cabo de Santo Agostinho por atos de improbidade administrativa. Quer condenação para o que considera um excesso de gastos com diárias e viagens por parte da Casa. No documento é pedida cassação do mandato dos legisladores, aplicação de multa e ressarcimento por danos morais em até dez vezes o valor gasto por vereadores e assessores em viagens, entre outras coisas.

É solicitado pelo MP, ainda, que seja expedida uma recomendação ao presidente da Casa, Gessé Valério (PTB), para revisão da forma como essas despesas são conduzidas. Pede-se também normas mais rigorosas para liberação do dinheiro. “O ideal é se abster de conceder esse auxílio quando o evento for na Região Metropolitana, por exemplo”, comentou a promotora Paula Ismail, que fará a entrega do documento na Vara da Fazenda Pública do município.

A promotora deve ser recebida pelo juiz Édson Gonçalves Cavalcanti, substituto de Rafael José de Menezes, que está de férias. Na semana passada o MP ingressou com uma ação criminal na 2º Vara do município. Ela foi acatada por Cavalcanti que acumula a função. Essa ação visa a condenação por crime de peculato e prevê penalidade de 2 a 12 anos. Tanto na ação civil quanto na criminal, todos os vereadores da cidade foram citados e a previsão é de que eles comecem a ser ouvidos pela justiça até o final de fevereiro.

Gastos
Somente em 2011 as Câmaras Municipais de Pernambuco desembolsaram R$ 8,1 milhões para viagens de vereadores e assessores. O Cabo de Santo Agostinho foi o segundo município que mais gastou (R$ 320,3 mil). Perdeu apenas para Ipojuca que destinou R$ 1,1 milhão para esse mesmo item de despesa. O levantamento foi feito pelo Diario de Pernambuco, em matéria publicada no dia 8 de janeiro. Por causa dessa mesma reportagem o Tribunal de Contas de Pernambuco (TCE-PE) decidiu auditar as dez Casas que lideram o ranking. Um trabalho que deve começar em fevereiro. Os outros são Igarassu, Petrolina, Floresta, Itamaracá, Serra Talhada, Itapissuma, Gravatá e Bom Conselho.

Paula Ismail quer o resgate do dinheiro gasto pelos vereadores.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.