terça-feira, 15 de novembro de 2011

MATÉRIA NO GAZETA NOSSA!

Engorda da praia em Jaboatão vai retirar areia do Cabo de Santo Agostinho
Seg, 14 de Novembro de 2011 21:12 paulo

Orla do Cabo de Santo Agostinho tem material mais adequado para essa ação", disse o Secretário de Meio Ambiente de Jaboatão
Segundo release mandado às redações pela assessoria de imprensa da PMJG, a areia para engordar as praias de  Barra de Jangada, Candeias e Piedade, se aprovado o projeto, deverá ser retirada da orla do Cabo de Santo Agostinho. A informação, segundo o release, foi dada pelo atual secretário de  Meio Ambiente, Ermírio Rego Barros, do PV:
“(...) foram feitos vários estudos da melhor jazida em quatro áreas da costa para a retirada da areia, levando em consideração a quantidade e a qualidade da areia que pode ser utilizada no projeto e o detalhamento hidrográfico e geofísico dos locais pesquisados”, detalhou Rego Barros. “Ao final, consideramos que a orla do Cabo de Santo Agostinho tem o material mais adequado para essa ação, com uma potência de 1,4 milhões m³ de areia”, completou.

Com informações da Assessoria de Imprensa – Foi assinado dia 14 de novembro o convênio que assegura 13 milhões para o início das obras de contenção do avanço do mar em Jaboatão. O ministro Fernando Bezerra Coelho e o prefeito Elias Gomes assinaram o convênio, apesar de não haver ainda licenciamento do órgão ambiental do estado de pernambuco, o CPRH. Embora o Secretário Sérgio Xavier demonstre interesse, a liberação para a obra depende exclusivamente do órgão.
A assinatura foi feita na sede da Regional 6, em Candeias, quando o ministro e provável candidato à Prefeitura do Recife falou enalteceu o curto prazo em que foram propostas soluções em Jaboatão.
O Projeto de recuperação da orla de Jaboatão dos Guararapes foi elaborado pela empresa Coastal Planning Engineereing, e foi apresentado pelo secretário de Meio Ambiente, Ermírio Rego Barros. O documento prevê o engordamento artificial da orla, com a utilização de 600 mil metros cúbicos de areia. Isso equivale a 60 mil caminhões tipo caçamba. Todo o projeto está orçado, inicialmente, em R$ 50 milhões. O valor do convênio assinado hoje foi de R$ 13 milhões.
“Para se chegar a essa conclusão, foram feitos vários estudos da melhor jazida em quatro áreas da costa para a retirada da areia, levando em consideração a quantidade e a qualidade da areia que pode ser utilizada no projeto e o detalhamento hidrográfico e geofísico dos locais pesquisados”, detalhou Rego Barros. “Ao final, consideramos que a orla do Cabo de Santo Agostinho tem o material mais adequado para essa ação, com uma potência de 1,4 milhões m³ de areia”, completou.


PROJETO
Segundo a Assessoria de Imprensa da PMJG, “Para o engordamento da orla das praias de Piedade, Candeias e Barra de Jangada, um navio com um equipamento, tipo aspiradora, que pode atuar em movimento, fará a aspiração da areia. Esta será armazenada num reservatório de dois metros cúbicos. Em seguida, o navio se desloca para uma área próxima ao local que receberá a engorda e um rebocador fará o transporte da areia até à beira-mar. Uma retroescavadeira, por sua vez, vai espalhar a areia.


Quebra Mar de Candeias será retirado
O secretário executivo de Meio Ambiente de Jaboatão, Ermírio Rego Barros, também destacou que em uma outra etapa está previsto o derrocamento do quebra-mar. “Faremos a retirada parcial desse quebra-mar que foi colocado em outro momento.  Ao final, a praia deve ganhar cerca de 30 metros de extensão até o mar”, contou. A previsão é que o licenciamento ambiental, feita pela CPRH, saia até o final de fevereiro e após o processo licitatório, a obra seja iniciada. “Esperamos que em até seis meses iniciemos a obra”,
PONTOS A PONDERAR:
             Quem lembra da engorda da Praia de SUAPE?
             Empresas com a antiga XXX que passou depois de envolvimentos com algumas tramoias junto com órgãos governamentais passou a se chamar YYY, (Qual será o nome dela agora?)movimentou milhões de m³ de areia retirados diretamente do fundo do mar para ás praias, porque agora este material tem que ser retirado por um navio draga, posto num rebocador e depois trazido às praias, se assim for este é um seguimento que ao contrário dos outros em vez de estar evoluindo esta regridindo.
             Ora, navios draga do porte da YYY - XIV podem retirar do fundo do mar e jogar às praias até o correspondente a 600 caminhões dia, se o problema for a distãncia entre a retirada e o ponto final que se estude a possibilidade de um depósito temporário com o uso de dois navios, será que não sairia mais barato? Se a intenção for a engorda, que diferença fará o tipo do material.
             E, será que não estaremos engordando um santo e emagrecendo outro, para amanhã o problema mudar apenas de lugar?
             O que dizem os técnicos, não os do CPRH-IBAMA, estes são sabemos o que dirão, mais devem existir em PE técnicos que entendam do assunto e levantem discusão para saber se realmente esta é a única, melhor e mais barata forma de engordar as praias de Jaboatão (O que para mim, mesmo morando no Cabo, será ótimo, terei uma linda praia a 2 km de casa), que tal o pessoal da UFPE - Alberto Figueiredo

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.