segunda-feira, 24 de outubro de 2011

ESTÁ PROVADO, LADRÃO RICO NO BRASIL NUNCA VAI PRESO, SE FOR NÃO DEVOLVE O QUE ROUBOU, ISSO SE CHEGAR A SER JULGADO, COM DINHEIRO O PROCESSO SE ARRASTA POR MIL ANOS, MORTO, ENTERRADO DANDO UM BELO SIFÚ PARA O POVO.







Fábio Fabrini, O Globo
A partir das alegações finais da acusação apresentada pelo procurador-geral da República, Roberto Gurgel , o processo do mensalão deve cumprir ainda um longo caminho até o julgamento final no Supremo Tribunal Federal (STF).
Os réus terão, a partir do início de agosto, quando o Judiciário voltará do recesso, 30 dias para apresentar suas últimas defesas. Só então o relator do caso no Supremo, ministro Joaquim Barbosa, começará a elaborar seu voto, que deve ser concluído em dezembro. Na previsão dele, a sessão que selará o destino dos 36 acusados deve ocorrer no início de 2012.
Barbosa está de licença médica devido a uma cirurgia no quadril e, segundo disse[ontem] a interlocutores, ainda não analisou as alegações do chefe do Ministério Público Federal. E afirmou que isso só deve ocorrer no seu retorno ao Supremo, em agosto.
Concluído o voto do relator, caberá ao ministro revisor, Ricardo Lewandowski, elaborar o seu, que não tem prazo certo.
Em entrevista [ontem], em Roraima, o procurador-geral da República, Roberto Gurgel, disse esperar que o desfecho do caso ocorra ainda este ano. Joaquim Barbosa e o presidente do Supremo, Cezar Peluso, também já manifestaram interesse em acelerar os trâmites internos - não os da defesa - para se tentar fazer o julgamento ainda este ano. Mas eles próprios não são muito otimistas.
Seja qual for a data, o julgamento em si deve ser um dos mais extensos da história do Supremo. O advogado de cada réu tem direito a uma hora de sustentação oral. Em geral, uma sessão comum do tribunal dura em torno de quatro horas. Soma-se a isso o tempo de exposição do procurador-geral (uma hora, se não houver acordo para estendê-lo), fora as manifestações dos ministros.
A ação penal do mensalão corre no Supremo, um foro privilegiado, porque dois dos acusados são deputados - Valdemar Costa Neto (PR-SP) e João Paulo Cunha (PTSP). Recentemente, surgiram boatos de que, na reta final da ação, eles poderiam renunciar aos mandatos, o que, em tese, levaria o processo para a instância comum da Justiça, começando do zero novamente.
Diante dessas especulações, o próprio relator Joaquim Barbosa esclareceu que, caso houvesse renúncia dos deputados, ele desmembraria a ação. Os dois deputados negam que tenham essa intenção.
Outra especulação é que alguns dos crimes estariam prescrevendo, e o primeiro seria o de formação de quadrilha. Para Joaquim Barbosa, esse crime prescreverá em oito anos a partir de agosto de 2007, data do recebimento da denúncia. 
Assim, na república dos bananas  sendo político ou tendo dinheiro fica a prova cabal que possuindo estes atributos todos podem ser considerados homens honrados, mesmo toda nação sabendo que são ratos.
E se alguém acredita  que desse meio ou seja dessa corja não sairão novos Senadores, Deputados, Governadores, Prefeitos, vereadores, Assessores especiais (como é o caso da Defesa), é porque acredita em Papai Noel e Fadas Madrinhas. 
Os quarenta da "equipe" de Ali Babá, que continua livre, leve, solto e dando aulas de como roubar uma nação e ainda ser querido por ela. - Do autor do blog


RELAÇÃO DOS RATOS MENSALEIROS.
José Dirceu deputado cassado do PT e ex-ministro da Casa Civil - Formação de quadrilha,peculato e corrupção ativa
l José Genoino deputado federal do PT-SP e ex-presidente do partido -  Formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa 
l Delúbio Soares ex-tesoureiro do PT - Formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa
l Silvio Pereira  ex-secretário-geral do PT - Formação de quadrilha, peculato e corrupção ativa
l João Paulo Cunha deputado federal do PT-SP - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro, peculato
l Luiz Gushiken  Ex-ministro da secretaria de Comunicação e Gestão Estratégica e quadro do PT Peculato
l Henrique Pizzolato  Ex-diretor do Banco do Brasil e membro do PT - Pecultado, corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Paulo Roberto Galvão da Rocha Deputado federal (PT-PA) - Lavagem de dinheiro
l Anita Leocádia Ex-assessora de Paulo Rocha -Lavagem de dinheiro
l Professor Luizinho – Ex-deputado (PT-SP) - Lavagem de dinheiro
l João Magno Ex-deputado (PT-MG) - Lavagem de dinheiro


Empresários:
l Marcos Valério de Souza  empresário e publicitário - Formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa, falsidade ideológica, lavagem de dinheiro, evasão de divisas
l Ramon Hollerbach – ex-sócio de Marcos Valério - Formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas
l Cristiano de Mello Paz – ex-sócio de Marcos Valério - Formação de quadrilha, peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas.
divisas
l Rogério Tolentino – Advogado e ex-sócio de Marcos Alérios -  Formação de
quadrilha, peculato, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas
l Simone Vasconcelos – Ex-gerente da SMP&B, uma das agências de Valério - Formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro, evasão de divisas  l Geiza Dias dos Santos Funcionária da SMP&B - Formação de quadrilha, corrupção ativa, lavagem de dinheiro,
evasão de divisas
l Kátia Rabello - Presidente do Banco Rural - Formação de quadrilha,
lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta
l José Roberto Salgado – Diretor do Banco Rural - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta
 l Vinícius Samarane – Diretor do Banco Rural - Formação de quadrilha,
lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta
l Ayanna Tenório Tôrres de
Jesus – Diretora do Banco Rural - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, gestão fraudulenta

OUTROS  POLÍTICOS
l Pedro Corrêa  Deputado cassado (PP-PE) - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro 
l José Janene –  Ex-deputado (PP-PR) -  Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Pedro Henry – Ex-deputado (PP-MT) - Formaçãode quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l João Cláudio Genu – Ex-assessor do PP na Câmara - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Valdemar Costa Neto – Deputado federal do PR-SP - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Jacinto Lamas – Ex-tesoureiro do PL (hoje PR) - Formação de quadrilha, corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Antônio Lamas – Ex-assessor da
liderança do PR - Formação de quadrilha, lavagem de dinheiro l Bispo Rodrigues – Ex-deputado do PR-RJ -  Corrupção passiva, lavagem de dinheiro
 l Roberto Jefferson Deputado cassado do PTB-RJ - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Emerson Eloy Palmieri  Tesoureiro do PTB - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Romeu Queiroz  Ex-deputado (PTB-MG) - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l José Rodrigues Borba –Ex-deputado (PMDB-PR) - Corrupção passiva, lavagem de dinheiro
l Anderson Adauto  Ex-ministro dos Transportes - Corrupção ativa, lavagem de dinheiro
l José Luiz Alvez  Ex-chefe de gabinete de Anderson Adauto - Lavagem de dinheiro


BREVE PODEREMOS VER QUALQUER UM DELES CANDIDATOS A CARGOS PÚBLICOS OU ASSESSORES ESPECIAIS. TAMBÉM COM TODA ESTA EXPERIÊNCIA EM ROUBAR OS POLÍTICOS CORREM ATRÁS DELES COMO MINAS DE OURO. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Observação: somente um membro deste blog pode postar um comentário.