segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Defendem o Brasil a todo custo, desde que não toque seus bolsos.

Brasília, 23 de novembro de 2010 -

Dados preliminares de estudo do Observatório do Clima estimam que, se forem aprovadas as 
alterações no Código Florestal conforme o substitutivo proposto pelo deputado Aldo Rebelo (PCdoB-SP), há um risco potencial de quase 7 bilhões de toneladas de carbono acumuladas em diversos tipos de
vegetação nativa a serem lançadas na atmosfera. Isto representaria 25,5 bilhões de toneladas de gases do efeito estufa, mais de 13 vezes as emissões do Brasil no ano de 2007.

Um dos dispositivos propostos no Projeto de Lei 1876/99 que altera o Código Florestal trata da isenção de manter e recuperar a reserva legal em pequenas propriedades rurais (até quatro módulos fiscais). A isenção
também se aplica ao equivalente a quatro módulos em grandes e médias propriedades. Tal medida é a que tem maior impacto potencial nas emissões de gases do efeito estufa e deixaria uma área total de 69,2
milhões hectares sem proteção da reserva legal, área maior que o estado de Minas Gerais.

Segundo o levantamento do Observatório do Clima, o estoque potencial estimado de carbono nestas áreas é de 6,8 bilhões de toneladas, correspondendo a um volume de gases do efeito estufa de 25 bilhões de
toneladas de CO2eq (gás carbônico equivalente).
Uma segunda modificação importante prevê a redução de 30 metros para 15 metros na área de preservação de matas ciliares em rios com até 5 metros de largura. Esta mudança faria com que os seis biomas brasileiros
deixassem de estocar 156 milhões de toneladas de carbono, correspondendo a mais de 570 milhões de toneladas de CO2eq, numa área de 1,8 milhão de hectares, o equivalente a mais de 2 milhões de campos de futebol.

De acordo com André Ferretti, coordenador do Observatório do Clima, o estudo contempla apenas uma das diversas facetas das propostas de modificação do Código Florestal. “Com a aprovação do texto, a meta do Brasil de reduzir as emissões nacionais de gases causadores do aquecimento global viraria pó, além dos inúmeros impactos causados à biodiversidade”, avalia.
Segundo Carlos Alberto de Mattos Scaramuzza, superintendente de conservação do WWF-Brasil, é fundamental que as discussões sobre o Código florestal sejam reiniciadas com novas bases. “O processo atual está repleto de vícios de origem, ignorou a ciência e a sociedade civil organizada. O atual substitutivo não está em condições de ser colocado em votação, nem este ano e nem em momento algum”, analisa.

As modificações podem comprometer gravemente a meta brasileira de redução de emissões estipulada na Política Nacional de Mudanças Climáticas. O Brasil assumiu ano passado, em Copenhague, o compromisso
de cortar aproximadamente 1 bilhão de toneladas de suas emissões de gases no ano de 2020.

Metodologia:
O estudo foi elaborado conforme as metodologias do Good Practice
Guidance for Land Use, Land-Use Change and Forestry, do Painel
Intergovernamental sobre Mudança do Clima – IPCC (IPCC, 2003) e também
de acordo com o Segundo Inventário Brasileiro de Emissões e Remoções
Antrópicas de Gases de Efeito Estufa, divulgado em outubro pelo
ministério da Ciência e Tecnologia.

O território nacional foi subdividido em unidades espaciais na forma de
polígonos que resultaram da integração das seguintes fontes de dados
sobre Bioma (IBGE, 2004), Limites municipais (Malha Municipal Digital
2005 do IBGE), Fisionomia vegetal (IBGE, 2004) e Tipo de solo
(EMBRAPA/IBGE, 2003). Conheça o Observatório do Clima: www.oc.org.br
Integram o Observatório do Clima:

Amigos da Terra - Amazônia Brasileira;
Amigos da Terra - Núcleo Brasil;
ANAMA - Ação Nascente Maquiné;
APREC Ecossistemas Costeiros;
APREMAVI - Associação de Preservação do Meio Ambiente e da Vida;
COIAB - Coordenação das Organizações Indígenas da Amazônia Brasileira;
Comissão Pastoral da Terra - Amazonas;
Conservação Internacional Brasil;
FBDS - Fundação Brasileira para o Desenvolvimento Sustentável
Fundação O Boticário de Proteção à Natureza;
Fundação SOS Mata Atlântica;
GERMEN - Grupo de Recomposição Ambiental;
Greenpeace Brasil;
GTA - Grupo de Trabalho Amazônico;
GVces - Centro de Estudos em Sustentabilidade;
IBio - Instituto BioAtlântica;
ICLEI – Governos Locais pela Sustentabilidade;
ICV - Instituto Centro de Vida;
IDESAM - Instituto de Conservação e Desenvolvimento Sustentável do Amazonas;
IESB - Instituto de Estudos Socioambientais do Sul da Bahia;
IIEB - Instituto Internacional de Educação do Brasil;
IMAZON - Instituto do Homem e Meio Ambiente da Amazônia;
Instituto Ecoar para Cidadania; Instituto Ecológica;
Instituto Pró-Natura - Instituto Brasileiro de Pesquisas e Estudos Ambientais;
Instituto Pro-Sustentabilidade;
ISA - Instituto Socioambiental;
IPAM - Instituto de Pesquisa Ambiental da Amazônia;
IPÊ - Instituto de Pesquisas Ecológicas;
Mater Natura - Instituto de Estudos Ambientais;
SBDIMA - Sociedade Brasileira de Direito Internacional do Meio Ambiente;
SNE - Sociedade Nordestina de Ecologia;
SOS Amazônia;
SPVS - Sociedade de Pesquisa em Vida Selvagem e Educação Ambiental;
The Nature Conservancy;
WWF-Brasil

O Brasil está cheio de defensores do planeta, desde que não mexa em seus bolsos, ou propriciem um aumento no que já possuem.
 

sábado, 25 de dezembro de 2010

Trabalhador já não tem muito o que comemorar, pois trabalha oito horas por dia e ganha R$540,00 por mês!

Vai ganhar!
Enquanto isso quem trabalha apenas oito horas por mês ganha R$ 26.000,00.
Para completar e como presente de final de ano, um amigo (Efcon) enviou esta matéria que sem dúvidas deixa claro como o trabalahdor brasileiro é beneficiado em suas conquistas.

O 13 SALÁRIO NUNCA EXISTIU.......

É, TEM LÓGICA!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!

NÃO TINHA PENSADO NESTA! BRILHANTE, DE FATO!
Os Ingleses recebem os ordenados semanalmente!
Mas ... há sempre uma razão para as coisas - e os ingleses NÃO FAZEM NADA POR ACASO??????????
Ora bem, cá está um exemplo aritmético simples que não exige altos conhecimentos de Matemática mas talvez necessite de conhecimentos médios de desmontagem de retórica enganosa.
Uma forma de desmascarar os brilhantes neo-liberais e os seus técnicos (lacaios) que recebem pensões de ouro para nos enganarem com as suas brilhantes teorias...
Fala-se que o governo pode vir a não pagar aos funcionários públicos o 13º salário.
Se o fizerem, é uma roubalheira sobre outra roubalheira.
Perguntarão porquê.
Respondo: Porque o 13º salário não existe.

O 13º salário é uma das mais escandalosas de todas as mentiras do sistema capitalista, e é justamente aquela que os trabalhadores mais acreditam.

Eis aqui uma modesta demonstração aritmética de como foi fácil enganar os trabalhadores.
Suponhamos que você ganha R$ 700,00 por mês. Multiplicando-se esse salário por 12 meses, você recebe um total de R$ 8.400,00 por um ano de doze meses.
R$ 700 X 12 = R$ 8.400,00
Em Dezembro, o generoso patrão cristão manda então pagar-lhe o conhecido 13º salário.
R$ 8.400,00 + 13º salário = R$ 9.100,00
R$ 8.400,00 (Salário anual) + R$ 700,00 (13º salário) = R$ 9.100 (Salário anual mais o 13º salário)
O trabalhador vai para casa todo feliz com o patrão.
Agora veja bem o que acontece quando o trabalhador se predispõe a fazer uma simple contas que aprendeu no Ensino Fundamental:
Se o trabalhador recebe R$ 700,00 mês e o mês tem quatro semanas, significa que ganha por semana R$ 175,00.
R$ 700,00 (Salário mensal) / 4 (semanas do mês) = R$ 175,00 (Salário semanal)
O ano tem 52 semanas. Se multiplicarmos R$ 175,00 (Salário semanal) por 52 (número de semanas anuais) o resultado será R$ 9.100,00.
R$ 175,00 (Salário semanal) X 52 (número de semanas anuais) = R$ 9.100.00
O resultado acima é o mesmo valor do Salário anual mais o 13º salário
Surpresa, surpresa? Onde está portanto o 13º Salário?
A explicação é simples, embora os nossos conhecidos líderes nunca se tenham dado conta desse fato simples.
A resposta é que o patrão lhe rouba uma parte do salário durante todo o ano, pela simples razão de que há meses com 30 dias, outros com 31 e também meses com quatro
ou cinco semanas (ainda assim, apesar de cinco semanas o patrão só paga quatro semanas) o salário é o mesmo tenha o mês 30 ou 31 dias, quatro ou cinco semanas.
No final do ano o generoso patrão presenteia o trabalhador com um 13º salário, cujo dinheiro saiu
do próprio bolso do trabalhador.
Se o governo retirar o 13º salário dos trabalhadores da função pública, o roubo é duplo.
Daí que, como palavra final para os trabalhadores inteligentes. Não existe nenhum 13º salário. O patrão apenas devolve o que sorrateiramente lhe surrupiou do salário anual.
Conclusão: Os Trabalhadores recebem o que já trabalharam e não um adicional.

Por isso:

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

Não apareceu um, apareceram vários homens honrados e íntegros.

A corja pernambucana acompanhou o que foi decido no coito do planalto central.

Cada dia mais esta é a foto que identifica o político brasileiro




Esta do povo.


Portanto no Natal não devemos esquecer de presentear nossos ilustres deputados federais e estaduais
Nada poderia ser mais adequado, usem bem e lembrem-se é um presente de coração
Que me desculpem os amigos, não costumo ser tão baixo mais procuro sempre me adaptar 
e no caso deles o presente esta à altura. 

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

O BRASIL TEM SOLUÇÃO-FALTA EXATAMENTE UM HOMEM ÍNTEGRO E HONRADO

Você Pensou?
Se acontecesse no Brasil 56% deveriam ser ... Será que sobraria algum de nóis !!!


*ASSEPSIA !*
VC SABE O QUE É ISSO?
*ASSEPSIA !* - Aconteceu em Cingapura:

Um Militar, com mão de ferro, assumiu o comando do país.
Em seis meses, dos cerca de 500 mil presidiários sobraram somente 50.
Todos os outros (criminosos confessos) foram fuzilados.
Todo homem público (político, policial, etc) corrupto foi fuzilado (Existiam milhares de provas contra eles).

Todos os empresários ladrões foram fuzilados ou fugiram rapido do país.
Aquela multidão de drogados que ficavam dormindo nas ruas, fugiram desesperados para a Malásia, para não terem que trabalhar ou seriam fuzilados.
Tinha uma mensagem de televisão onde o novo governo avisava que o país estava com câncer e que a única solução era extirpá-lo.

Tipo, se algum parente seu foi extirpado, compreenda, ele era um câncer para a nação.
Depois de ter feito toda a limpeza no país, reorganizado o sistema político, judiciário e penal, esse militar convocou eleições diretas e se candidatou para presidente.

Venceu as eleições com 100% dos votos.

No Brasil isso é gente de valor!

Hoje, Cingapura é um dos paises mais seguros de se morar. E um dos mais desenvolvidos, e mais seguros que os Arrogantes Estados Unidos, Inglaterra, ou Israel.
Já no avião, a ficha de desembarque tem um "DEAD" (morte) bem grande em vermelho e a explicação da penalidade sobre o porte de drogas. Qualquer droga.
Com zero virgula nada de cocaína encontrada, o sujeito ou é sumariamente fuzilado, ou é condenado a prisão perpétua com trabalhos forçados.
Um surfista brasileiro, tentou entrar em Cingapura com uma prancha de surf recheada de cocaína. Óbvio que ele traçou a sua própria morte. E a mãe do jovem traficante apareceu na TV pedindo para o Lula interceder pelo filho, não adiantou nada. Nem mãe, nem Lula, nem protestos evitaram o cumprimento da lei.
Nos hoteis, os "Guias da Cidade" tem uma página explicando que a polícia de Cingapura garante a integridade física de qualquer mulher 24 horas por dia (isso porque na antiga Cingapura, sem lei e ordem, as mulheres que saíam sozinhas eram estupradas e ou mortas) O chiclete é proibido em Cingapura, pelo simples fato de que, se jogados no chão sujam as calçadas da cidade. Distribuir panfletos, sem chance. Só em lojas e não devem ser entregues as pessoas, que, se os quiserem pega-os em uma gôndola ou suporte. Jogar no chão então... dá multa cara.

Ano retrasado, a secretária local de um amigo, que estava fazendo um trabalho por lá, foi seguida pela polícia desde sua casa até o trabalho.
Quando chegou no trabalho ligou a seta do carro para entrar no prédio, a polícia deu-lhe sinal para que ela parasse.
Um dos policiais veio até a janela do seu carro e disse: "Como a Sra. sabe, estamos fazendo uma campanha de civilidade no trânsito. Multando os infratores e dando bônus a quem dirige corretamente. E a Sra., em todo o trajeto da sua casa até aqui, não cometeu nenhuma infração. Parabéns! Aqui está um cheque de 100 dólares cingapurianos (equivalente a cerca de R$ 128,00) e pediria para a Sra. assinar o recibo, por favor.

Pessoas assim são caladas, postas em locais onde suas vozes não sejam ouvidas


Sabem?
O BRASIL tem solução!!!!
SURRUPIADO DE UM AMIGO, ESPERO QUE ME PERDOE

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

RECORDE ABSOLUTO!

A COMPESA consegue bater seu prórpio recorde, o mesmo serviços executado duas vezes no período de três meses, rompe-se novamente o tubo que atravessa a estrada de Curcurana.
Prova maior da grande capacidade técnica da empresa e mais 36 horas sem abastecimento.
Para não esquecer, o vazamento em Pontezinha, aquele que já ultrapassa cem dias  desde hoje não desperdiça água. (A rede esta fechada), o tubo continua rompido, quando abrirem as torneiras voltará a vazar.

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Papai Noel gordo para a corja.

CONGRESSO NACIONAL mais conhecido como  (O coito) vota hoje aumento para eles próprios - 62,5%
É uma corja ou não.
Votam ainda a medida que destruirá nosso código florestal que possibilitará o desmantemento desenfreado em todas as regiões do Brasil alé de anistiar todos os ratos que destruiram sem autorização milhares de hectares de florestas para colocar seu gado ou suas plantações.
Levando-se em conta que os grandes criminosos ambientais do Brasil também são parlamentares ou familiares destes é o mesmo que abrir as porteiras para a destruição.
Este país é ou não uma zona?
Nosso povo é ou não conivente com todas as safadezas desta corja de marginais que são chamados de "incelenças", pelos babas ovos de plantão.
Brasil! Cria vergonha na cara!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Dia de votação de aumento de salário para a corja.

Alguém percebe alguma diferença?
Para votar coisas que interessem ao povo e a nação esta cambada de safados sequer aparecem, mais para votar aumento de seus prórpios salários, faltam cadeiras.
É muita gente safada em pouco espaço.  

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

É chegada a hora de separar patriotas de traidores da pátria!

SUPERCONDUTORES!
"A questão do nióbio"? Agora também esta no WikiLeaks.

06/12/2010 - 17h53 - Folha de São Paulo
EUA anunciam "ações significativas" contra WikiLeaks; site cria "clones" para fugir de cerco
O procurador-geral e secretário de Justiça dos Estados Unidos, Eric Holder, anunciou nesta segunda-feira "ações significativas" na investigação, ainda em curso, sobre o vazamento de mais de 250 mil documentos diplomáticos americanos pelo site WikiLeaks
A lista que envolve muitos países, inclui cabos submarinos de telecomunicações, portos, minas e empresas que fabricam, entre outras coisas, produtos farmacêuticos importantes para a saúde pública.

No Brasil, os olhares americanos estão nos cabos submarinos Americas-2 e GlobeNet, em Fortaleza (CE) e no Rio de Janeiro. O documento de quatro páginas cita ainda a mina de manganês e minério de ferro da Rio Tinto e mina de nióbio em Araxá (MG) --que concentra 75% de toda a produção mundial-- e Catalão/Ouvidor (GO).

QUEM É NELSON JOBIM?

Laerte Braga

Um dos desafios que a presidenta Dilma Roussef vai enfrentar de cara diz respeito ao processo de integração latino-americana. E já começa antes da posse a dar sinais que pode cair de quatro com a decisão de manter o ministro Nelson Jobim na Defesa. Jobim é oriundo do governo FHC e não tem nada a ver com o Brasil, é agente estrangeiro.
O site WikiLeaks revela nos milhares de documentos secretos divulgados na última semana que são estreitas as ligações entre o ministro e o governo dos EUA. Como próxima demais para um ministro da Defesa sua “amizade” com o embaixador norte-americano no Brasil, Clifford Sobel.
Acostumados a ministros do padrão Celso Láfer, que tiram sapatos no aeroporto de New York quando chegam e submetem-se a revistas, os norte-americanos estão fazendo de tudo para que o novo governo não confirme o ministro Celso Amorim nas Relações Exteriores e afaste o secretário de Assuntos Estratégicos Samuel Pinheiro Guimarães, considerados hostis às pretensões dos EUA na América do Sul.
Amorim e Samuel Pinheiro Guimarães são pontos positivos do governo Lula e conferiram ao Brasil respeito na comunidade internacional.
Se Jobim e chefes militares querem bater continência para Washington que o façam, mas lá.
Os documentos secretos revelados pelo site mostram que os EUA consideram o Brasil como país amigo, mas negam amizade estreita, enxergando obstáculos a interesses políticos que têm na região.
O acordo militar assinado entre o Brasil e os EUA é um escárnio, foi assinado com a oposição de Amorim e Samuel Pinheiro Guimarães; e Jobim é só uma ponte entre norte-americanos, militares pró EUA (a maioria) e por essa razão várias decisões dos norte-americanos, muitas delas intervencionistas, passam pelo ministro da Defesa. Um contínuo, office boy com patente de “general de carreirinha”.
Não há sentido em manter Jobim no Ministério, como nunca houve em designá-lo.
Ou Dilma percebe o processo em seu momento, ou sucumbe ao “capitalismo a brasileira” e promove um retrocesso sem tamanho.

Essa característica volúvel de Jobim vem desde os tempos em que foi ministro do STF (Supremo Tribunal Federal). Ao assumir a toga de ministro caiu de quatro e se declarou líder do governo de FHC (por quem foi indicado) no STF, para assegurar o processo de privatização. Uma das suas primeiras atitudes foi afastar do processo de privatização da VALE a juíza Salete Macalóes (que vinha anulando ilegalidades e imoralidades na privatização) e colocar no caso um juiz, digamos, maleável.
Não há sentido e nem razão para a permanência de Jobim no Ministério do futuro governo e está aí o motivo da campanha contra Celso Amorim. Os norte-americanos o querem fora do Ministério das Relações Exteriores. Não é comprável, não é manobrável, ou seja, tem dignidade. É Amorim, não é Jobim.

Jobim tem interesses. Quem pensa que a mala branca é privilégio do futebol está visceralmente enganado.
A confirmação de Jobim é um rompimento dos compromissos assumidos em campanha, de políticas independentes e voltadas para a integração da América Latina. Em contrapartida, o ministro das Relações Exteriores Celso Amorim foi indicado como um dos mais influentes chanceleres dentre todos os países do mundo como formulador de políticas.
A escolha de Dilma, manter Jobim, significa tirar os sapatos ao chegar ao aeroporto de New York e as declarações do ministro contidas nos documentos revelados pelo site WikiLeaks confirmam isso.
Nos citados documentos consta a expressão “inclinação antiamericana” com relação ao Itamaraty e Jobim, ao contrário, se estende na cama e chama, venham, em relação às políticas relacionadas a América do Sul, particularmente à Venezuela.

Jobim num almoço com o embaixador norte-americano, passando informações, referiu-se ao ministro Samuel Pinheiro Guimarães como “alguém que odeia os Estados Unidos” e o embaixador pede sua ajuda para derrubar o ministro.
Sem caráter nenhum, já que os documentos divulgados são oficiais, mas cara de pau ao extremo, o ministro da Defesa telefonou a Samuel Pinheiro Guimarães para dizer que falou o que falou.

É típico de políticos corruptos e a serviço de potência estrangeira como ele. Falo de Jobim. Só por esse episódio desmoraliza qualquer governo. Como não tem dignidade e não vai pedir demissão, tem tarefas a cumprir para Washington, cabe à presidente eleita afastá-lo.
Os avanços obtidos no governo Lula, mesmo em meio a muitas concessões, correm o risco de ruir com a permanência de Nelson Jobim no Ministério da Defesa.

É preciso estar atento a ação de Jobim quanto a sua influência junto à futura presidente, levando em conta que foi um dos principais condutores, como ministro da Justiça e depois no STF do processo de venda do Brasil durante o governo FHC.
Não faz sentido estar no governo Lula e muito menos permanecer no governo Dilma.
Ou é imposição de militares comprometidos com Washington, ou é outra concessão sem tamanho, tipo uma no cravo, outra na ferradura.
Dilma Rousseff corre o risco de assumir sem condições de cumprir uma plataforma mínima de governo no campo de políticas estratégicas para o Brasil. Pode estar indo dormir na cama do inimigo.
Jobim, entre outras, defende uma estreita colaboração com os EUA, inclusive com a instalação de bases militares norte-americanas em nosso País.
Para quem não se lembra, há um episódio ridículo em sua “carreira” de general de mentirinha, além do discurso que fez quando tomou posse no STF (imoral). Vestindo uniforme de campanha desceu no aeroporto de Porto Príncipe no Haiti, anunciando que o Brasil iria assumir o controle e o comando das forças internacionais naquele país (tem nominalmente), quando do terremoto que destruiu parte do território haitiano. Os militares brasileiros foram sumariamente afastados do centro de decisões pelos militares norte-americanos.
Jobim foi apenas sacramentar a rendição. E explicar aos militares brasileiros que naquele momento general brasileiro passava a ser sargento do exército dos EUA.

Sargento? Se muito cabo.

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

LEI DA POLUIÇÃO SONORA - Feita em benefício do povo.

 LEI Nº 2.279 – Poluição Sonora

Art. 14 Nas proximidades de escolas, bibliotecas, igrejas, casa de saúde etc. etc. fica proibida a instalação de fontes de ruídos até 200 metros de distância.

No caso a fonte esta localizada no térreo de um prédio que no primeiro e segundo andar funciona uma escola.
O que mais dificulta a aceitação é o fato de ser uma mensagem intermitente, ( a mesma coisa) repetida das 8:00 às 18:00, sem intervalos.
Usem a lei denunciem como pode ser lidio acima é proibida a instalação de fontes sonoras proximo a escolas.
Denunciem: A secretaria responsável enviará um fiscal para verificar e procurar sanar o desrespeito a lei.
ET: O FISCAL LEVARÁ ENTRE 15 E 20 DIAS PARA CHEGAR AO LOCAL.
(MORAL DA HISTÓRIA: Funciona que é uma beleza, ou seja; a lei existe mais jamais o povo se beneficiará dela)


quinta-feira, 2 de dezembro de 2010

UMA GRANDE VITÓRIA DO POVO LIVRE DO CABO

O Movimento ECO-VIDA – Em Defesa do Cabo de Santo Agostinho e o Movimento em defesa da Mata do Engenho Uchoa, receberam, em nota oficial, o posicionamento da prefeitura do Cabo de Santo Agostinho sobre a não instalação de uma Usina Incineradora de Lixo com sentimento de vitória.




Ambos os movimentos são compostos por entidades e pessoas reconhecidamente sérias e de tradição de lutas sociais e ambientais.
O Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa existe há mais de 30 anos lutando contra toda sorte de depredação de que foi alvo a mata. Diante da ameaça da instalação de uma usina para tratamento de lixo na APA Rousinete Falcão (APA do Uchoa) não poderia deixar de se indignar com as autoridades governamentais que, irresponsavelmente, assinaram as licenças prévias para a instalação da referida Usina, procurando com isso resolver o problema do lixo da cidade do Recife, que precisa de solução digna. O movimento têm consciência dessa necessidade, porem, é necessário que se busque alternativas conseqüentes e ecologicamente educativas.
A instalação desse empreendimento só prejudicaria o meio ambiente e, consequentemente, toda a população do Recife e do Cabo de Santo Agostinho, cidade de 179.912 habitantes que receberia a unidade incineradora da Usina, que seria responsável pela contaminação da cidade, pois exalaria os mais perigosos gases: a dioxina e o furano, nefastos a vida de toda população, causadores dos maiores impactos ambientais.

Preocupadas com essa iminente ameaça, entidades dos mais variados segmentos sociais do Cabo de Santo Agostinho, criaram o Movimento ECO-VIDA, resposta ao silêncio que regia todo o andamento do processo de licenciamento do projeto, sobretudo no Cabo. Várias manifestações contrárias ao projeto foram encampadas, chegando-se a fazer um Ato Público no momento da inauguração do Hospital Dom Helder, com a presença do governador Eduardo Campos. Nesse Ato, com a interferência do governador, ficou garantida uma reunião na CPRH, realizada no dia 6 de julho do corrente com a presença de representantes do Movimento Eco-Vida e de representantes do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa; na reunião com a CPRH deliberou-se a sistemática da Audiência Pública do dia 08 de julho do corrente no Clube das Águias e da realização de uma Audiência Pública no Cabo de Santo Agostinho.
Apesar de não ter havido audiências com o executivo municipal, a força do Movimento Eco-Vida e a mobilização do povo conseguiram o posicionamento oficial do prefeito do Cabo pela NÃO IMPLANTAÇÃO DA USINA DE INCINERAÇÃO.
O Movimento Eco-Vida e o Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa conseguiram derrotar o projeto da CTRD que seria implantado nas cidades do Cabo e do Recife. Por isso se consideram vitoriosos e com as energias renovadas para continuarem em vigilância permanente contra qualquer projeto que venha ameaçar o meio ambiente e a qualidade de vida da população.

Movimento Eco-vida
Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa

NOTA DO AUTOR DO BLOG: Parabéns a todos por esta vitória do povo cabense, Jairo Lima, Chico da Charneca, Eli, o incansável batalhador nas lutas em defesa dos direitos do povo o saudoso CARLOS ROBERTO DOMINGOS DE MOURA (MOURA DO PORTAL CABO) e tantos outros que contribuiram dedicando horas em defesa do meio ambiente.
Parabéns a todos.
ET: Os amigos do Movimento Mata do Engenho Uchôa que sempre estiveram ao lado dos cabenses nessa batalha, nossa gratidão.     

UMA IMAGEM QUE NÃO VEREMOS:


 

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Mais um grande comprovante da organização da COMPESA

Mais já estou sendo ameaçado de ser posto no SPC.
Antes dessa tem outra: Uma conta no valor de R$ 4,60 de 2002, esta sendo cobrada pela COMPESA, a conta está paga, em 2001 eu a levei e uma cópia da mesma para um escritório da empresa para que fosse suspensa a cobrança, um funcionário alegou que apenas receberia a original, ora, se eles não tem controle sobre quem autorizam receber as contas como eu entregaria a original.
Não entreguei, até hoje consta como em aberto e todos os meses recebo aviso de corte.Podem cortar, a original eu não entrego.
RESUMINDO: Além de ser mal servido ainda  sou ameaçado todos os meses.
É constrangedor as pessoas verem o rapaz que tira a conta entregar todas as vezes um aviso de débito que não existe, as pessoas não sabem, eu passo por caloteiro.
Algum advogado quer pegar esta causa?

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

Odilon de Oliveira (Exu, 26 de fevereiro de 1949[1]) é um juiz federal brasileiro, famoso por ter atuado no combate ao crime organizado na região de fronteira com o Paraguai na cidade de Ponta Porã, Mato Grosso do Sul.


Ficou nacionalmente conhecido por prender traficantes de drogas da região onde atua como juiz. Vive sob forte escolta de policiais federais e atualmente atua na Justiça Federal de Campo Grande/MS. É o responsável pela Penitenciária Federal de Campo Grande.
Odilon de Oliveira, nasceu em 26/02/1949, na Serra do Araripe, município de Exu, Pernambuco. Filho de pais lavradores, trabalhou na roça até os 17 anos de idade. Foi alfabetizado na roça, à noite, em sua própria casa, após ter dia inteiro de trabalho. Entrou tarde na faculdade de Direito, vindo a se formar aos 29 anos de idade. Foi Procurador Autárquico Federal, Promotor de Justiça, Juiz de Direito. É Juiz Federal desde 1987. Sempre trabalhou em fronteiras como magistrado federal, na área criminal: Mato Grosso, Rondônia e Mato Grosso do Sul. Já condenou centenas de traficantes internacionais. Atualmente, é titular da única vara especializada no processamento dos crimes financeiros e de lavagem de dinheiro de Mato Grosso do Sul, com jurisdição sobre todo o Estado. Seu maior sonho é ver a juventude livre das drogas.

Que diferença desse para um outro pernambucano, que nasceu pobre filho de lavradores, de mãe analfabeta, ele também, não apenas quando nasceu mais assim é até hoje,retirante, que um oito anos ficou bilionário, sem nunca ter trabalhado.

Odilon de Oliveira. O Juiz Sem Liberdade

• Publicado por Horridus Bendegó em 4 dezembro 2009 às 13:08 em Judiciário
Revista Época
Por Walter Nunes

Odilon Oliveira condenou, nos últimos dez anos, mais de cem chefões do narcotráfico. Os bandidos oferecem US$ 1 milhão a quem acabar com ele
Em cima de um armário de metal, na sala 117 da 3a Vara Federal de Mato Grosso do Sul, está a imagem de gesso de São Jorge, o santo guerreiro protetor dos oprimidos. “Uma mulher aqui da cidade me deu essa estátua”, diz o juiz Odilon Oliveira, com forte sotaque nordestino. “Ela disse que o santo vai me resguardar.” Na parede, um certificado de bênção do papa Bento XVI dedicado especialmente ao juiz – presente oferecido por um padre de uma cidade do interior sul-mato-grossense – reforça a escolta espiritual. “As pessoas me dão terços, santinhos, estátuas. Elas rezam para que nada de ruim aconteça comigo”, diz Odilon.
Ele diz confiar na ajuda divina. Mas, para não dar chance aos inimigos – e eles são muitos –, um grupo fortemente armado de anjos da guarda se reveza para manter a segurança do doutor Odilon, como ele é conhecido. São pelo menos três policiais federais armados com pistolas e fuzis colados dia e noite no juiz. E toda essa cautela ainda pode ser insuficiente: Odilon Oliveira é hoje um dos homens mais ameaçados do Brasil.
Caçador de traficantes de drogas, ele tem entre seus inimigos – segundo investigações das polícias do Brasil e do Paraguai – empresários, políticos e chefes de quadrilhas, como Fernandinho Beira-Mar. Já sofreu dois atentados e foi alvo de vários planos de assassinato. Semanas atrás, ÉPOCA presenciou um episódio que mostra a fama do juiz entre a bandidagem. No dia 21 de novembro, em audiência na penitenciária federal de segurança máxima de Campo Grande, em Mato Grosso do Sul, Odilon Oliveira discutia com o colombiano Juan Carlos Ramirez Abadía, um dos maiores traficantes de drogas do mundo, sobre um pedido de extradição feito pelo governo dos Estados Unidos. Ao fim da audiência, o advogado do traficante comentou com seu cliente: “Esse é o doutor Odilon, um juiz rígido, muito conhecido por aqui. Temos sorte de seu processo por tráfico não estar nas mãos dele”. Abadía respondeu de bate-pronto: “Já ouvi falar dele aqui dentro do presídio. Muitos traficantes foram condenados por ele”.
Nos últimos dez anos, Odilon não só condenou centenas de traficantes, inclusive os chefões, a penas pesadas, como também esvaziou os cofres de várias quadrilhas. O juiz confiscou 85 fazendas. São 36 mil hectares de terra, ou três vezes o tamanho da cidade do Rio de Janeiro. Ele ainda apreendeu 166 imóveis, entre casas, apartamentos e terrenos, 564 veículos, 18 aviões, seis embarcações e quase R$ 15 milhões em dinheiro. Odilon calcula ter causado, com os confiscos, um prejuízo de cerca de R$ 2 bilhões aos traficantes. “Para o bandido, perder o que ele conseguiu com o crime é pior que ficar preso. Quando não há confisco de bens, o criminoso movimenta o dinheiro mesmo estando dentro da cadeia”, diz Odilon. “E, depois que sai, consegue usufruir o que ganhou.”
Em sua passagem por Ponta Porã , em Mato Grosso do Sul, cidade onde funciona uma espécie de interposto das drogas que vêm do Paraguai, ele condenou, em um ano, 114 traficantes a penas que somam quase mil anos de prisão. Saiu de lá para a capital, Campo Grande, e continuou fazendo estragos na estrutura do crime organizado. Os barões do tráfico passaram a oferecer dinheiro pela cabeça de Odilon. A primeira oferta, em 1998, foi de US$ 60 mil. Segundo investigações das polícias do Brasil e do Paraguai, a oferta hoje está em US$ 1 milhão.
Foram tantas as tentativas de assassiná-lo que, durante um encontro entre magistrados de Brasil, Itália, Portugal e Estados Unidos, Odilon foi homenageado como se tivesse morrido combatendo o crime.
Poucos anos atrás, um pistoleiro contratado na região chegou perto, segundo o juiz. Odilon diz que o bandido estava dentro de uma academia de ginástica, mas não teve coragem de esfaqueá-lo na frente de duas crianças. “Aquelas duas crianças me salvaram”, diz Odilon. O último plano de assassinato foi descoberto pela polícia civil de Mato Grosso do Sul em maio deste ano.
O traficante Aldo Brandão, considerado um dos líderes da organização criminosa PCC (Primeiro Comando da Capital) em Mato Grosso do Sul, comandou de dentro da penitenciária estadual de Dourados, naquele Estado, um plano para matar o juiz, marcado para o Dia das Mães. Segundo a polícia, Aldo contratou pistoleiros, providenciou uma frota de caminhonetes, carros de luxo e até um avião para dar suporte à operação. Os matadores prepararam tudo às escondidas, em sítios de Campo Grande. O arsenal da missão era digno de filmes de guerra: fuzis AR-15 e AK-47, várias pistolas e granadas. Caso algum traficante desistisse na última hora, seria morto com a família. Ao todo, o plano teria custado cerca de R$ 2 milhões, arrecadados de um consórcio formado por várias quadrilhas. O plano só não foi adiante porque a polícia o descobriu e Aldo foi transferido para uma penitenciária federal de segurança máxima.
A cada novo esquema descoberto, a segurança do juiz aumenta. Ele já morou em um fórum em Ponta Porã, mas precisou mudar-se por causa de uma tentativa de invasão. Foi transferido para um hotel de uso exclusivo do Exército, mas mesmo assim um pistoleiro trocou tiros com a sentinela de plantão em outra tentativa de invadir o prédio. Hoje poucas pessoas no Brasil têm um aparato de segurança tão formidável quanto Odilon. Ele só anda s em carros blindados que suportam tiros de fuzis. É sempre escoltado por outro carro blindado com policiais federais e antes de sair de seu escritório ou casa veste um colete à prova de balas. Antes de entrar em qualquer ambiente, um policial federal armado de fuzil toma a dianteira para checar a segurança.
Em sua casa, são agentes de segurança que autorizam a entrada das visitas. Todos os cômodos têm ramal de interfone e os agentes sabem o celular de cada um de seus familiares. Na Justiça Federal, onde trabalha, praticamente todos os ambientes são monitorados por câmeras de TV. Para falar com Odilon é necessário passar por duas portas equipadas com detectores de metal e é preciso registrar a imagem e a impressão digital em um cadastro na portaria do prédio.
A ironia é que o juiz vive tão privado de liberdade quanto os bandidos que ele condena à prisão. “Por causa da minha segurança, tive de abrir mão da privacidade. Isso é terrível”, diz Odilon.“Tem gente que acha que andar escoltado por seguranças é ter status. Que bobagem. O fantástico é ter liberdade.” Odilon é casado há 33 anos com Maria Divina e tem três filhos. Há um ano e meio ganhou um neto e seu maior ressentimento é não poder passar mais tempo com o garoto. “Quando um homem tem um neto, é a última oportunidade de ele revisitar sua infância. É uma pena eu não poder fazer tudo o que quero com meu neto”, diz.
O juiz não vai a restaurantes, não freqüenta missas, não visita amigos. “Eu convivo com ele há anos, e nunca o vi sair para jantar fora”, diz um dos agentes de sua escolta. Para ir ao casamento de um dos filhos, precisou ser escoltado por dez agentes de segurança. O doutor Odilon não se lembra da última vez em que foi fazer compras em um supermercado. Ele e a esposa deixaram de freqüentar as aulas de dança de salão.
Faz quatro anos que não aparece na varanda de seu quarto. Seu passatempo é pendurar uma rede na garagem de casa nos fins de semana e passar horas lendo. De preferência, livros sobre crime organizado e terrorismo – no momento está lendo Ilícito, livro-reportagem do jornalista Moises Naim sobre o tráfico de drogas, de armas e de órgãos humanos.
A ostentação dos traficantes condenados por Odilon, que se divertiam com carros de luxo, mansões, iates, helicópteros e até aviões, contrasta com a simplicidade espartana do juiz. Ele não usa relógio nem anéis. Os óculos de grau ficam pendurados em seu pescoço, prontos para ajudá-lo a ler algum documento. Mesmo no calor intenso de Campo Grande, o juiz não dobra a manga da camisa nem afrouxa a gravata. Sisudo, trata a todos com formalidade, não faz piadas nem demonstra intimidade com ninguém. Trata por senhor e senhora a todos com quem conversa. “O senhor, por favor, tire uma cópia deste documento para mim”, diz a um estagiário. Ele não fala palavrão. O mais duro ataque que faz a um desafeto é chamá-lo de “sujeito seboso”. Reflexo da criação rigorosa dada por seus pais.
Odilon Oliveira nasceu há 58 anos na pequena Exu, cidade do sertão pernambucano. Terceiro dos oito filhos dos lavradores Expedito e Domercília, teve uma infância miserável. Passou fome, mas resistiu. Alguns primos e um irmão não sobreviveram à pobreza. Para evitar novas mortes, a família fugiu da seca e embarcou na carroceria de um caminhão para tentar a sorte em Mato Grosso do Sul, Estado que promovia um programa de colonização. Odilon começou a trabalhar na roça aos 5 anos, plantando arroz, mandioca e criando galinhas – tudo para subsistência. Aos 9 anos, começou a estudar incentivado pela mãe. “Meus pais eram analfabetos, mas na família da minha mãe tinha gente que sabia escrever cartas. Por isso ela me forçava a estudar”, diz.
Tomou gosto pelos livros e passou a vender ovos e legumes para poder comprar lápis e caderno. Virou o centro das atenções da família, que todas as noites se reunia em torno de um lampião a querosene para ouvir Odilon ler literatura de cordel. Após terminar o ensino médio, passou no vestibular de Direito de uma universidade particular de Campo Grande. Para custear os estudos, trabalhou como professor primário em uma cidade próxima. Acordava às 4 da manhã e chegava em casa depois da meia-noite. Formado em Direito, passou em vários concursos públicos. Foi procurador da União, promotor de justiça, juiz estadual, até chegar, em 1986, ao cargo que ocupa hoje: juiz federal. Ele é o único da família que conseguiu um diploma de curso superior.
A infância sofrida e a adolescência difícil parecem menos cruéis que a atual realidade do juiz. “Apesar de eu não me arrepender de nada do que fiz, a vida que eu levo hoje é mais dura. Eu sou uma pessoa mais triste do que eu era antes”, admite o doutor Odilon. E a miséria maior é que o juiz vislumbra um futuro ainda mais obscuro. “Eu tenho medo do que vai ser daqui a 11 anos, quando eu me aposentar. Vou perder a proteção policial e ainda vai ter muita gente querendo se vingar de mim”, diz. Sua escolta será reduzida aos santinhos e à imagem de São Jorge, que descansa em cima de seu armário.

ESTE É UM HERÓI, não os manés bostinha herói de Pedro Bial,  os fofas bosta do BBB.
De um homem desses Pernambuco e o Brasil podem se orgulhar.

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

SENTAR AO LADO DE UM NEGRO?...

Simplesmente Fantástico, Parabéns TAM!





Aconteceu numa viagem da Tam e é verídico !!!

Uma mulher branca, de aproximadamente 50 anos, chegou ao seu lugar na classe
econômica e viu que estava ao lado de um passageiro negro.
Visivelmente perturbada, chamou a comissária de bordo.

'Qual o problema, senhora?', pergunta uma comissária..

'Não está vendo?' - respondeu a senhora - 'vocês me colocaram ao lado
de um negro. Não posso ficar aqui.. Você precisa me dar outra cadeira'.

'Por favor, acalme-se' - disse a aeromoça - 'infelizmente, todos os lugares
estão ocupados. Porém, vou ver se ainda temos algum disponível'.
A comissária se afasta e volta alguns minutos depois.


'Senhora, como eu disse, não há nenhum outro lugar livre na classe
econômica.Falei com o comandante e ele confirmou que não temos mais nenhum
lugar mesmo na classe econômica. Temos apenas um lugar na primeira classe'.
E antes que a mulher fizesse algum comentário, a comissária continua:
'Veja, é incomum que a nossa companhia permita à um passageiro da classe
econômica se assentar na primeira classe.


Porém, tendo em vista as circunstâncias, o comandante pensa que seria
escandaloso obrigar um passageiro a viajar ao lado de uma pessoa
desagradável'.

E, dirigindo-se ao senhor negro, a comissária prosseguiu:
'Portanto senhor, caso queira, por favor, pegue a sua bagagem de mão, pois
reservamos para o senhor um lugar na primeira classe...'

E todos os passageiros próximos, que, estupefatos assistiam à cena, começaram a
aplaudir, alguns de pé.
Se você é contra o racismo, envie esta mensagens aos seus amigos, mas não a
delete sem ter mandado pelo menos a uma pessoa.


'O que me preocupa não é o grito dos maus.É o silêncio dos bons...'


quarta-feira, 24 de novembro de 2010

CONVITE!

Associação dos pescadores de Barra de Jangada, Mangue ferido, A.M.E.A, S.N.E convidam todas as correntes ligadas ao Meio Ambiente para discutirem assuntos de intereses de todos.


Plataforma Ambiental. S.O.S Mata Atlantica.

Reunião dos Ambientalistas.
Dia: 28/11/10
Hora: 09:00
Local: A.P.B.J (Associação dos Pescadores de Barra de Jangada.



Pauta:
Formação da Plataforma Estadual.
Praia do Paiva.
Duplicação Curcurana.- ESTA PARTE INTERESSA A TODOS OS MORADORES DE PONTEZINHA, PORTANTO QUEM PUDER ESPALHE A NOTÍCIA, TEMOS QUE LUTAR PARA QUE A DUPLICAÇÃO SEJA FEITA E NÃO ESTRADA PELA BEIRA DO MANGUE (Construída pela beira do mangue condenará Pontezinha e seu comércio)
Lagoa do Nautico.Para todos que moram em Jardim Progresso - Terra Mar etc. é a possibilidade de urbaização da área.
Pedagio.
Via visual (das margens do Rio Jaboatão.
Outros.

terça-feira, 23 de novembro de 2010

REFORMA POLÍTICA, UMA ARMA DA SOCIEDADE!

Brasília, 16/11/2010 - O presidente nacional da Ordem dos Advogados do Brasil, Ophir Cavalcante, abriu hoje (16) o seminário Reforma Política - Um Projeto para o Brasil, convocando a cidadania brasileira "a levantar esta bandeira como uma prioridade para firmar a posição do Brasil no cenário das grandes nações democráticas". Em discurso na abertura do evento, que marca os 80 anos da OAB, Ophir fez essa exortação aos cidadãos para observar que está "convencido de que a reforma política ou é conduzida pela sociedade, com o apoio da Imprensa, ou não sai; será para sempre uma pálida anotação à margem da pauta nacional". Ele frisou que a OAB lutará para colocar de uma vez por todas o tema no centro do debate nacional.


O seminário acontece até quinta-feira, na sede da OAB Nacional em Brasília, e pretende apresentar nas conclusões um documento contendo sugestões para que as instituições do País possam realizar uma reforma política ampla. "É um desafio de enormes proporções, bem o sabemos, pois não interessa à classe política de um modo geral mudanças que lhe retirem comando das eleições fundadas em costumes divorciados de preceitos éticos", destacou o presidente nacional da OAB.

"E esse desafio reside, justamente, em como envolver a sociedade - a sociedade em sentido lato, desde as suas representações legítimas até o anônimo cidadão - num projeto de reforma política que dê maior credibilidade a um instituto cuja história se perde no tempo e não temos outra melhor para substituí-lo: o voto", acrescentou Ophir Cavalcante, em sua fala na abertura. Ele observou que a reforma política depende de mudanças radicais. Entre as indagações para as quais o seminário terá de oferecer respostas, por exemplo, estão temas como voto distrital, financiamento público de campanhas, a questão da cláusula de barreiras, entre outras.

O seminário "Reforma Política - Um Projeto para o Brasil - OAB 80 anos" conta com a participação de cientistas, juristas e líderes políticos, e se desenvolverá em três painéis, coordenados pelos ministros do Supremo Tribunal Federal Ricardo Lewandowski (presidente do Tribunal Superior Eleitoral), Carlos Ayres Britto e Cármen Lúcia Antunes Rocha. O evento terá como relator-geral o jurista Luís Roberto Barroso e, como patrono, Miguel Seabra Fagundes (homenagem póstuma), pelo centenário de seu nascimento. O presidente de honra do seminário é o jurista Fábio Konder Comparato, medalha Rui Barbosa da OAB.

A seguir, a íntegra do pronunciamento do presidente nacional da OAB, Ophir Cavalcante, na abertura do seminário:

"Senhoras e Senhores,

Ao comemorar 80 anos de existência, a Ordem dos Advogados do Brasil se lança em um novo desafio: recolocar (e de uma vez por todas) a reforma política no centro do debate nacional, convocando todos as cidadãs e cidadãos a levantar esta bandeira como uma prioridade para firmar a posição do Brasil no cenário das grandes nações democráticas.

Este é um traço peculiar da história da OAB. Foi assim desde as primeiras campanhas cívicas do início da nossa República; continua nos dias atuais, em pleno Estado democrático de Direito e com as instituições funcionando com total liberdade. É obrigação da Ordem manter-se na vanguarda, pondo-se inteiramente à disposição da sociedade para ajudar a promover as mudanças necessárias ao desenvolvimento de nossa Pátria.

Isto exige empenho, esforço, renúncias pessoais e obstinação. É natural de qualquer luta. Passo a passo, temos avançado, talvez não com a velocidade que desejamos, pois os caminhos muitas vezes nos surpreendem com atalhos. O último desses atalhos representou duas décadas de ditadura, de autoritarismo. Mas a democracia triunfou e o Brasil emerge para o mundo reivindicando uma posição de destaque.

Neste ponto, gostaria de saudar a memória do jurista Miguel Seabra Fagundes, nosso bâttonier de 1954 a 1956, e que se vivo fosse estaria completando 100 anos. Tendo se destacado por sua luta em defesa da legalidade, da Justiça, das liberdades e dos direitos humanos, ideais que constituem ainda hoje missão da Ordem, nada mais justo que seja ele o patrono deste evento.

Senhoras e Senhores,

A nossa Constituição, cuja mais nova edição guarda o frescor dos 22 anos somente, desdobra-se em esforços por afirmar-se diante de um modelo de sociedade perverso, inoperante e, na maioria das vezes, injusto. Vivemos sob o signo das reformas, tantos são os problemas estruturais, das quais não escapam nem mesmo a política.

Não basta termos eleições a cada dois anos, à exceção do Distrito Federal. Por trás dos festejos de cada nova eleição esconde-se uma crise de credibilidade na base da democracia representativa, resultante de uma série de fatores que levaram, por exemplo, milhões de cidadãos a se mobilizarem exigindo uma legislação específica para retirar do cenário candidatos com fichas sujas.

Precisamos reconhecer: se tamanho esforço foi necessário, então algo está errado. Se a política tornou-se assunto de tribunais, idem.

É um desafio de enormes proporções, bem o sabemos, pois não interessa à classe política de um modo geral mudanças que lhe retirem o comando das eleições fundadas em costumes divorciados de preceitos éticos. Basta lembrarmos o famigerado "caixa-dois", cuja conta costuma ser cobrada depois das eleições em superfaturamento de obras, desviando recursos que fazem falta à educação, saúde e segurança. Outra prática condenável é a troca de favores e empregos para abrigar, em cargo comissionados, cabos eleitorais e integrantes de partidos, aumentando sobremaneira, os gastos públicos.

E esse desafio reside, justamente, em como envolver a sociedade - a sociedade em sentido lato, desde as suas representações legítimas até o anônimo cidadão - num projeto de reforma política que dê maior credibilidade a um instituto cuja história se perde no tempo e não temos outra melhor para substituí-lo: o voto.

A reforma política, estou convencido meus prezados colegas e convidados, ou é conduzida pela sociedade, com o apoio da Imprensa, ou não sai; será para sempre uma pálida anotação à margem da pauta nacional. Somente conduzida pelo clamor popular ela irá contemplar, afinal, o fortalecimento do eleitor no processo político.

Em 1991, quando se tentou pela primeira vez aprovar uma reforma política, o então presidente do maior partido na Câmara dos Deputados concluiu que seria quase impossível fazer a reforma política no Brasil. Por um simples motivo, disse ele. No Congresso havia 19 partidos; Na prática, 19 minorias.

Pareceu um raciocínio por demais prosaico. Mas não era. Em fevereiro de 2011, quando os novos deputados tomarem posse, já se terão passado 20 anos daquela constatação. Só que, desta vez, não serão 19 minorias, mas vinte e duas, porque 22 dos 27 partidos elegeram deputados. E cada um tentará sabotar o outro quando o assunto for a reforma política.

Mas não é só isso. Nos partidos também não há unanimidade. Dentro deles também há uma guerra. As rasteiras tornam-se tão comuns que a constatação poderia até receber uma interpretação mais livre: quando a reforma é a política, a Câmara é formada por 513 minorias.

Desde o fim da Constituinte de 1988, quando se percebeu que uma reforma política ainda teria de ser feita no País para aperfeiçoar um sistema que fora mantido torto, elitista, de raízes num passado retrógrado e coronelista, fala-se que a reforma política é a "mãe de todas as reformas".

Sabemos, contudo, que da forma como está, a legislação brasileira, por anos e anos ainda, possibilitará eleger aberrações eleitorais.

É uma conseqüência direta do sistema proporcional, que permite que um candidato, mesmo tendo recebido uma votação expressiva, não seja eleito, pois depende da proporcionalidade dos votos em todos os partidos, que elegem representantes na medida em que sua legenda tem mais ou menos voto.

O voto distrital, segundo muitos cientistas políticos, mudaria radicalmente a eleição. A eleição deixaria de ser proporcional para se transformar em majoritária, ganhando quem obtiver mais votos, tal como ocorre com a eleição de governadores e senadores. Mas seria ele o sistema mais adequado à cultura do povo brasileiro? Se se concluir que sim, seria distrital puro ou misto?

Ao lado disso, o financiamento público de campanhas em conjunto com as listas fechadas seria uma solução para permitir a maior participação partidária e melhor representação da sociedade?

São perguntas que este seminário deverá responder.

Em resumo, a reforma política depende de mudanças radicais. Se tivesse sido aprovada a cláusula de barreiras, em 2006 somente sete partidos teriam sobrevivido, o que ajudaria a reduzir o número de agremiações que hoje têm dono e funcionam muito como legendas de aluguel. Porque hoje ter um pequeno partido é um grande negócio, com dinheiro garantido pelo Fundo Partidário - mais de R$ 1 milhão por ano para os partidos menores.

De outro lado, acabar com os partidos de aluguel seria decretar, igualmente, o fim de pequenos partidos que muito contribuíram à democratização do Brasil. Uma encruzilhada sobre a qual devemos nos debruçar para ofertar uma proposta.

Entre os que estudam o tema da reforma política, o pessimismo é grande, pois políticos, principalmente os profissionais, não tem o menor interesse em mudar o atual sistema, que lhes parece bem confortável por garantir a eleição legislatura após legislatura, baseada em currais de votos conquistados mais à base de favores do que de interesse de uma determinada comunidade.

Alguns acreditam que ela só ocorreria diante de um cataclismo ético e político, que naturalmente leva a uma mobilização nacional.

A reforma eleitoral, por sua vez, não anda no Congresso há mais de duas legislaturas. Sob a inspiração do nobre jurista Fábio Konder Comparato, Medalha Rui Barbosa e nesta noite nosso homenageado, a OAB ofereceu ao Congresso Nacional uma proposta de Reforma Eleitoral. Lamentável dizer que dela, até o presente, nada se aproveitou, nos dando a sensação de um descaso solene por parte do Parlamento. Talvez, quem sabe, pelo fato de o projeto conferir maior poder ao povo nas decisões do País.

O que se avançou desde então foi pouco, muito pouco, nada representando de substancial. Tanto assim, para citar um exemplo recente, o Presidente da República pôde participar do processo de eleição de seu sucessor como nunca antes outro Presidente fizera no País.

Nunca é demais lembrar que a mais importante das modificações - a que criou a Lei da Ficha Limpa - foi de iniciativa popular contando com a participação de entidades como a OAB, a Igreja, os magistrados, os membros do Ministério Público dentre outros. Não saiu do próprio Congresso. Nem sairia, porque permitia punir políticos que estavam no exercício do mandato criando obstáculos para os que viessem a se candidatar nas eleições seguintes. Foi aprovada porque a população pressionou.

É preciso destacar, ainda, que esforços para se promover reformas políticas existem em todo o mundo democrático. A última que se tem notícia ocorreu na Nova Zelândia, em 1991. Na Itália, também nos anos 1990, ela foi induzida pelo Ministério Público. E a França só adotou o voto distrital em 1958 porque os deputados foram forçados a isso pelo general Charles de Gaulle.

Não estamos inovando ao iniciarmos essa caminhada. Em todo o mundo, onde há democracia, vê-se também o constante esforço para aperfeiçoá-la. Que seja esta a nossa bandeira de agora em diante, não importam os obstáculos.

O que importa é termos um Parlamento sintonizado com a população; um Parlamento que expresse, na prática, o anseio de seu povo.

Todos nós que lutamos tanto por um Brasil soberano não podemos continuar vivendo uma simples "situação democrática", por mais eleições que possam ocorrer. Queremos uma democracia como valor universal, que se traduza em participação, ética e responsabilidade. Isto não é utopia. Pode e deve ser conquistado.

Muito obrigado".

Sobre o comentário de Luiz de Zorzi feito no meu blog IMLB-Cabo

Foto montagem Portal Cabo
A guerra para se conseguir solucionar este problema, talvez um dos mais graves gerados pelo próprio homem, não tem fronteiras e comentários como este de Luiz Zorzi, postado no meu blog- IMLB - Cabo é uma prova disso. Homens capazes opinam e se manifestam por saberem que uma ação precipitada hoje pode ter um final trágico.

Não canso de repetir:
CABO: PREFEITURA NÃO RENOVA ANUÊNCIA
O governo municipal do Cabo de Santo Agostinho não renovou a licença para construção de uma usina de co-geração de energia (INCINERAÇÃO DE LIXO).
É uma vitória do povo e uma certeza que o homem que hoje dirige os destinos do Cabo tem um compromisso com seu povo.

HISTÓRIA
Descendentes de imigrantes italianos, que no início do século serravam pinheiros araucárias e fundaram associados à Cooperativa Madeireira Caxiense, a Cooperativa Agricola (em Canela) e a Cia. Insutrial Madeireira (1914). Desde os bisavós, avós paternos e maternos, pai e irmãos e primos, madeireiros das familias de Zorzi, Giacomet e Pisani. Com o espírito de empreendedores pioneiros, plantaram pinus araucárias (1954), passaram a produzir lâminas (1955), painéis de compensados/plywood (1959), reflorestamento de pinus taeda e elliottis (1964), madeira mineralizada/ palha e cimento (anos 60) e celulose/ papel (anos 70). Com a família numerosa, no final da década de 70, houve uma reestruturação societária, desmembrando-se em várias empresas autônomas, que seguiram caminhos próprios e distintos no setor florestal >>indl. madeireiro >> papeleiro >> ind.equipamentos indls. madeireiro >> tradings madeireiros. A Verde Camino SA. Pertence a quarta geração familiar, desde empreendedores florestais, que mantendo viva esta tradição, cultiva o espírito pioneiro desbravador e inovador, em busca de desafios que possam beneficiar a empresa e seus envolvidos , agregando qualidade, quantidade, sustentabilidade e competitividade, onde quer que se possa buscar tanto geograficamente, como em suas ações. Hoje entre dezenas de empresas das familias De Zorzi, Giacomet e pisani somadas (da mesma origem), produzem além de toras, woodchips, celulose e papel; mais de 70% de pinus sólidos (serrados, painéis, fencing, pallets, portas, molduras, etc...) exportados do Brasil.
Este uso de geração energética, só poderia ser utilizada APÓS a domesticação dos gases, com destino controlado,monitorado e conclusivo, pois de pouco adianta gerar problemas potencialmente maior que o atual, TODAVIA é muitíssimo válido desenvolver tecnologia que transforme este problema em solução dupla.

Luiz De Zorzi http://www.verdecamino.com/
VERDE CAMINO S.A. Foi fundada em outubro de 2006, no Uruguai com o abjetivo inicial de aquisição, colheita/extração, desbastes, comercialização e exportação de toras e Wood chips a partir de contratos e aquisições de florestas de WEYERHAEUSER (top 100 - USA). Hoje em função de atualização e adaptação das demandas, redirecionamos o foco, para o fornecimento de grandes volumes de Wood Chips (Cavacos, para fiberboard & para celulose long-fiber) e woodfire (Combustível Sólido para Caldeiras), em todas as etapas do processo, com atuação própria ou terceirizada, onde é possível, sob controle de VERDE CAMINO S.A.



Com Know- How adquirido em operação especiais, já que países com legislações próprias para: colheita, extração, industrialização primária, trabalhistas, fiscais e transporte internacional com duplas particulares, certificações e exigências fitam-sanitário-ambientais e documental de grande maciços florestais de pinus taeda/elliottis e eucaliptus grandis.


Visando operação de larga escala, a empresa se posiciona em operar sustentavelmente, com externa otimização/racionalização das operações, desde aquisição/colheita/arraste/bloqueio/picar/industrialização primária/transportar/exportar/despachar e desembarcar, com operações porta a porta, sempre se colocando como parceiro elo da corrente, visando otimizar o fornecimento, com custos palatáveis e com balizamento de custos reajustáveis da operação (maioria gasoil/disel) objetivando: Parceria Sustentável de Longo Prazo, para parceiros escolhidos após rigorosa seleção de sinergias, para proporcionar e agregar resultados positivos as partes.


Desejamos ocupar parte do espaço onde o comprador necessita de florestas próprias, com grandes áreas e grandes demanda de capital de longa maturação, como ferramenta de estabilização de mercados/preços e garantir de suprimentos, com custos razoáveis, bem como racionalizar os suprimentos, com a redução ampla no numero de fornecedores e seus conseqüentes problemas já conhecidos (inconstância de volumes / adiantamento / reajustes / diferenças de pesos e medidas / freteiros em dezenas-centenas / padrão de qualidade desejado / pressão de preços locais / controles administrativos e pagamentos) com a confortável redução parcial do numero de fornecedores. Com volumes expressivos e com pagamentos normalizados de importação/ exportação, normalmente LC e com todas as cargas fiscalizadas, mensuradas e auditadas pelas Secretaria de Receita Federal, Estadual e além de mais uma dúzia de órgãos entre os dois países, os controles certamente estarão mais cercados contra eventuais erros, que normalmente ocorrem, facilitando a Administração de Precisão.


Poder controlar com o contratado, faça chuva ou faça sol (operamos com estoques reguladores de 30/60 dias de produção/abate das árvores, objetivando a redução parcial de umidade e conseqüente redução e viabilização de distâncias das florestas, bem como aumento Kcal x Volume fornecido) e assim ampliando a margem de segurança na operação do parceiro gerador de vapor / energia. Contratado de longo prazo, para a segurança (quase como se fosse a floresta própria) e para justificar adequadamente a maturação dos vultuosos investimento em equipamento operacionais de tecnologia avantgard, escala de produção que proporcione custos racionalizando, para ambas as partes que buscam o empreendimento próximo do ideal (este é o nosso objetivo), buscar em conjunto a escala ideal tanto na operação de fornecimento, como na cogeração de UTE, resumindo buscaremos em conjunto “criar, gerar valor”, além da energia.
Sabe o que diz.
A busca por soluções sustentáveis deve ser incansável! - Alberto Figueiredo






PREFEITURA NÃO RENOVA ANUÊNCIA. Usina de lixo, Não!

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

CABO: PREFEITURA NÃO RENOVA ANUÊNCIA
O governo municipal do Cabo de Santo Agostinho não renovou a licença para construção de uma usina de cogeração de energia (INCINERAÇÃO DE LIXO). Usina essa que se viesse a se concretizar causaria danos irreparáveis à saúde do povo cabense e ás populações das cidades vizinhas.
Esse fato, se tratando de responsabilidade da estrutura jurídica da instituição maior de um nunicípio, nos motiva a concluir que 31 anos de luta do Movimento em Defesa da Mata do Engenho Uchoa somando-se ao Movimento Eco-Vida sensibilizou o prefeito dessa cidade possuidora de praias que são referências no turismo nacional, quanto a PRESERVAÇÃO DO MEIO AMBIENTE.
Seria justíssimo que essa situação da anuência se traduzisse numa decisão do gestor para sossego do povo do Cabo e das cidades circunvizinhas.
Viva a organização e a luta do povo.
Mata Atlântica Sim! Lixo Não!
Postado por Mov. Mata Engenho Uchôa às 23:54

Em abril 6, 2010 às 5:31 pm - Postei no Site do Portal Cabo do saudoso e combativo defensor do Meio Ambiente - Moura 

Os parâmetros adotados pela CPRH para defesa do meio ambiente já estão bastante conhecidos, os poderes econômico e financeiro querem, tudo que estive na frente, está no lugar errado na hora errada.
Depois que o rolo compressor dos interesses financeiros passa se corre atrás com a justiça, o mal está feito, nada poderá voltar a ser o que era quem autorizou, de bolsos cheios, digno representante de uma corja ri de tudo, processos e mais processo se acumularão com seu nome mais o Doutor continuará livre, leve, rico e solto rindo da cara de todos.
Alguns dos representantes eleitos pelo povo levantarão a voz em defesa do maio ambiente, umas doses de escocês prá lá outras prá cá, tudo resolvido, quem mandou ficar na frente do progresso.
Pelo menos no Cabo o prefeito toma sobre si a responsabilidade e demonstra sua vontade em debater com o povo, os que de alguma forma serão beneficiados ou não pela obra, apesar do mal maior já ter sido feito, O Município do Cabo de Santo Agostinho, o poder executivo foi desrespeitado ao não ser comunicado, o prefeito Lula Cabral põe fim.
As questões ambientais aqui no Cabo serão tratadas com responsabilidade que ela merece!
Parabéns prefeito!
O município, o povo, o prefeito têm que ser respeitados, vossas palavras tem eco no seio do seu povo.
Sempre disse que muitas das coisas que ocorrem dentro do município não chegam a seu conhecimento, pois, se chegasse o problema seria sanado, este grito de soberania do município do Cabo, demonstra que sempre tive razão, coisas pequenas que podem ser resolvidas com pequenas intervenções de pequeno valor podem resolver um problema que afeta muitos.
No caso da CTDR a empresa e a CPRH, omitiram, dentro do município, muitos omitem passando uma imagem distorcida de que tudo vai bem.
Valeu!
O povo do Cabo pode contar pelo menos com uma voz a seu favor.
O problema do lixo é coisa séria, o progresso também mais tem que ser tratado de forma consciente, transparente, pois as ações levadas a efeito influirão sobre a vida de milhares de cabenses hoje e sempre.
Esperemos que nossos vereadores sigam os passos do mestre, gritem, mesmo que seja apenas para segui-lo.
ET: Como dizem cada um que puxe a brasa para debaixo de suas sardinhas!
Olhem mais para minha terrinha, Pontezinha, já tão pequena e esquecida.
Alberto Figueiredo-(81) 3479.2986 / 8859.9178
Acertei! O Prefeito Lula Cabral defende a soberania do Cabo  

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

LÁ ELEGERAM TIRIRICA, AQUI O POVO FEZ QUESTÃO EM REELEGER OS MAIS SUJOS.

Agora vem o melhor, trabalhar para sustentar uma cambada de ladrão.

513 deputados e 81 senadores, que iniciarão seu mandato em fevereiro próximo, já começaram a 'trabalhar'... a favor do reajuste de seus próprios subísidios. Sairá do cofre público, ou seja, do nosso bolso, mais R$ 180 milhões por ano a mais que os já abusivos
R$ 7,4 BILHÕES previstos para 2011. A discussão sobre o aumento deve ser feita até o final deste .
"Há pressão forte dos parlamentares para que haja equiparação dos salários do Legislativo e do Executivo aos vencimentos dos ministros do Supremo Tribunal Federal (STF)..." "Atualmente os ministros do STF recebem R$ 26,7 mil, mas já há no Congresso proposta de novo aumento salarial que elevaria os salários destes ministros para R$ 30,6 mil".
Tempos atrás até que se pagava alto mais se podia confiar, hoje o Supremo não passa de um quintal do planalto.
Parlamentares que assinam os projetos de lei às pressas, de maneira desleixada e irresponsãvel pelo caminho onde passam, sem ir até seu local de 'trabalho' na Câmera, sem ler e, portanto, sem saber exatamente do que se trata, receberão aproximadamente, EM UM ÚNICO MES, 45 vezes um salário minimo de 560,00 (caso seja reajustado para este valor). Isso corresponde a receber POR MES a quantia equivalente a 3,75 anos (QUASE QUATRO ANOS) de suor de um trabalhador que ganha salário mínimo. O mesmo trabalhador que os elege e paga para que riam de sua cara.
Puteiro Nacional - JC
Fato verídico foi a aprovação da lei para supressão da área de mangue (de preservação pernamente), para construção da vicinal Pontezinha - Barra de Jangada (A lei: Apenas quando se esgotarem todas as possibilidades, forem vistas e comprovadamente não houver outra alternativa áreas de preservação penamente poderão ser suprimidas) Para construção dessa estrada pelo menos quatro outras opções foram apresentadas tento por cidadãos quanto por entidades ligadas ao meio ambiente, todas descartadas.
Os deputados pernambucanos assinaram (aprovaram) sem ler a lei que autoriza a supressão.
Enquanto isso nos trabalhamos feito animais para sustentar uma leva de corruptos. 
A cada dia a classe política mais se enfia na lama do despudor, da corrupção, da falta de ética.
A classe hoje é sinônimo de corja, todo malandro, safado, ladrão, vigarista quer ser vereador, deputado, senador, governador e como estamos no Brasil, presidente. 
O povo brasileiro merece, afinal não se elege um ladrão porque este dá R$ 30,00 antes e mais R$30,00 se ganhar?
     












Qual será, mesmo, o motivo

para os políticos não se preocuparem

com instrução ao povo brasileiro?‎

sexta-feira, 19 de novembro de 2010

OS CONTRIBUINTES QUE SE DANEM

Posted by PicasaSentados em suas cadeiras de secretários ou prefeitos enchem-se de orgulho como se um rei houvesse em suas barrigas.

Fardados de guardas municipais
são quase donos do mundo.
Refastelados em camionetes de
R$ 170.000,00 adquiridas com dinheiro do povo, parecem deuses.
Para manter a ordem no transito,  proibir os exessos de velocidade, as ultrapassagens irregulares, O USO DE BUZINAS A AR EM ÁREA URBANA, A EMISSÃO EXCESSIVA DE MONOXIDO DE CARBONO, (usadas de forma abusiva pelos micro onibus da linha)NÃO! Para isso os guardas municipais encarregados de fiscalizarem o transito não têm autoridade esta está reservada apenas a aplicação de multas. Os valorosos guardas municipais não podem levar sol ou caminhar avenida acima, avenida abaixo, culpa do exemplo dos seus graduados chefes que mesmo estando o mundo se acabando não podem sair do ar condicionado das viaturas adquiridas com dinheiro dos contribuintes (nós mesmos, os FDP que pagamos os salários deles e ainda temos que aturar tanta gente sem nenhum compromisso, fantasiada de ortoridade).
Não existem guardas suficientes para fiscalizar o transito nem que seja apenas nos horários de pico, a prefeitura não tem dinheiro  (Não tem dinheiro para por avisos de travessia de crianças, velocidade permitida, proibição de carga e descarga em determinados horários) mais para adquirir veiculos de alto luxo para os comandantes da guarda municipal puderem acompanhar as comitivas, (de governador, deputados, presidente, ou qualquer outro que seja das graças tem, e sobra.
_________________________________________________________________________________

Para construir as estradas necessárias para facilitar a vida dos contribuintes nunca existe dinheiro ou aparece algum marginal comedor de bola para impedir a construção de uma estrada, dizendo-se defensor do meio ambiente quando na verdade tudo que deseja é satisfazer as vontades dos empresários e encher seus bolsos.

Enquanto esta estrada de Curcurana não for feita como os governantes querem para atender os desejos dos investidores do PAIVA, (margeando o mangue) mesmo que para isto se destrua todo um ecossistema ou eles não encontrem outra forma para não perderem a proprina que já foi prometida os contrinuinte sofrerão.
Não todos claro!
Os ricos estarão dentro de seus carros com ar, os pobres que se danem.



Onde estão os R$120.000.000,00 que estavam disponíveis para construção desta estrada e urbanização da lagoa do náutico, que foram segurados na caixa até que aparecesse um homem honrado que pudesse dispor do dinheiro do PAC sem enfiá-lo nos bolsos, já apareceu? Tá difícil?
OU o dinheiro sumiu?     

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

QUANDO O POVO DIZ...

Nenhum político presta! Muitas vezes o povo que é levado a isso pelas atitudes deles.

Porque o povo não pode ter conhecimento das obras que serão feitas, quais alternativas, pontos positivos ou negativos de cada uma já que elas podem de alguma forma interferir na vida de muitos.
As discussões sobre o traçado para uma vicinal que ligue a antiga BR 101 (Pontezinha à Barra de Jangada é uma dessas coisas que levam os cidadãos a traçarem perfis á vezes (muito raramente) errados sobre os gestores e as empresas envolvidas.

LEMBREMOS ESTAS REPORTAGENS:

sexta-feira, 24 de julho de 2009 Nova estrada vai ligar Pontezinha a Barra de Jangada
Fonte: Blog de Jamildo
A Prefeitura do Cabo de Santo Agostinho participa, no próximo dia 30, de audiência pública promovida pela Agência Estadual de Meio Ambiente e Recursos Hídricos (CPRH), para discutir a implantação e pavimentação de uma rodovia vicinal entre o entroncamento da BR-101, ligando Pontezinha, no Cabo, com a Rua Padre Nestor de Alencar, em Barra de Jangada (Jaboatão dos Guararapes).
A reunião acontecerá as 9h30, no Clube Intermunicipal, em Jaboatão.
De acordo com a secretária de Planejamento e Meio Ambiente do Cabo de Santo Agostinho, Vera Tenório, a obra é fundamental para o município. O projeto da via partiu do Plano Diretor do Cabo (Lei 2.360, de 29/12/2006) e também integra o Plano do Território Estratégico de Suape.
A rodovia será a ligação mais rápida dos bairros de Ponte dos Carvalhos e Pontezinha (Cabo) com as praias de Candeias e Piedade (Jaboatão), permitindo melhor acesso ao Complexo Turístico da Praia do Paiva.
Além disso, segundo a Secretaria de Planejamento e Meio Ambiente, a estrada é a solução que melhor preserva a área de estuário, por ocupar apenas a margem esquerda do Rio Jaboatão e por evitar desapropriações ao longo da estrada de Curcurana (entre Pontezinha e Barra de Jangada).
A obra será executada pelo Governo do Estado, através do Departamento de Estradas de Rodagem (DER). Vão ser feitas quatro faixas de rolamento, tendo cada pista 3,50m de largura e acostamento com 1,50 m . Além disso, será construída uma ponte sobre o canal Olho D’água, com 40,14 m de comprimento.
Na construção, serão investidos cerca de R$ 13 milhões oriundos do Fundo Rodoviário e do Tesouro Estadual.
Quem quiser participar da audiência terá à disposição dois ônibus que serão disponibilizados pelo DER. Os veículos sairão às 7h30 de frente da Igreja Matriz de Pontezinha e do Caic, no centro do Cabo.
Postado por Herbert Fernandes
MUITOS FORAM ASSISTIR AO TEATRO ARMADO PELO CPRH PARA MOSTRAR SUA CAPACIDADE DE MANIPULAR DADOS, por isso o Sr. Gurgel foi chamado de mentiroso em público.

TERÇA-FEIRA, 21 DE OUTUBRO DE 2008
Eduado Campos e Elias Gomes discutem Revitalização da Lagoa Olho D'Água
Segunda-feira passada, o novo prefeito de Jaboatão dos Guararapes, Elias Gomes (PSDB), fez uma viagem à Brasília para se inteirar junto aos deputados federais sobre as emendas no orçamento de 2009. Na volta, teve uma conversa com o governador Eduardo Campos, que anunciou um pacote de obras e ações para Jaboatão.
Entre as obras estão: o binário da Estrada da Batalha, a duplicação da Estrada de Curcurana, construção de três Centros da Juventude, construção de três unidades de pronto atendimento, reforma do Mercado de Cavaleiro, ampliação do sistema de abastecimento de água e a revitalização da Lagoa Olho D'Água. Muitas dessas obras serão financiadas com o dinheiro do PAC. A revitalização da Lagoa Olho D'Água é uma delas.
Pessoas diretamente ligadas ao governo, já haviam me informado que o Governo do Estado havia "segurado" o dinheiro do PAC (R$ 120 milhões), referente a revitalização da lagoa, temendo o desvio dos recursos por parte da administração de Newton Carneiro. A própria administração de Newton Carneiro também não se mostrou interessada em fazer o projeto de revitalização da lagoa. E não o fez, como eu também já havia falado aqui no blog, contribuindo (também) para que a verba não fosse liberada pela Caixa Econômica Federal.

A especulação (verdadeira ou não) de que o Governo do Estado havia negociado com o Ministério das Cidades uma segunda chance, solicitando que a Caixa "segurasse" a verba até a transição da prefeitura de Jaboatão, parece está se comprovando. Especula-se (e comenta-se) nos bastidores do poder, que o Governo do Estado "segurou" o dinheiro na esperança que o povo elegesse outro prefeito em Jaboatão, que fosse capaz de fazer um projeto e gerenciar com responsabilidades a verba do PAC.
A população inteira de Jaboatão espera que Elias seja esse prefeito e o Governo do Estado parece ter uma relação muita boa com Elias. Antes de especularmos se Elias é bom ou ruim, vamos aguardar ele assumir a prefeitura e começar a governar de fato. Até lá vamos continuar cobrando melhorias na Lagoa Olho D'Água.
Nesses dias, Elias Gomes também falou com o secretário de saúde do Estado, João Lira Neto sobre ações de saúde em Jaboatão. A equipe de transição de Elias Gomes também já foi definida e divulgada na íntegra no Blog do Jamildo.
Postado por Herbert Fernandes

Se está mais que provado que o CPRH juntamente com as empresas interessadas utilizaram dados defasados sobre o meio ambiente para confecção do RIMA (o que foi acatado pelo governo do estado e recebeu aprovação de todos os deputados de Pernambuco que sequer olharam o que dizia a lei tornando-os coadjuvantes de mais um crime ambiental). Por pressão do povo  e do MP na pessoa do honrado Dr. FlávioFalcão a obra foi suspensa, até quando não se sabe mais qualquer leigo, "não os técnicos, sábios homens defensores do meio ambiente" lotados no CPRH e nas comissões de meio ambiente da Assembléia e das câmaras que uma agressão ambiental dificilmente pode ser corrigida, já a social (por desapropriações) podem facilmente serem minimizadas quando não completamente corrigidas com boas políticas públicas, mais o interesse financeiro esta acima de tudo.
Mesmo que se tenham apontado diversas outras alternativas para o traçado da estrada, talvez até mesmo com custo menor não foram aceitas e a lei de preservação devagar vai sendo jogada no lixo.
Por que não podemos saber, por que não se leva ao conhecimento do povo como andam as negociações, por onde passará a estrada? Será duplicada? Ou destruirá o mangue e as margens do rio?
O dinheiro, segundo a reportagem já existe esta lá, guardadinho esperando um homem honrado e capaz de administrar se roubar o dinheiro do PAC, então porque a obra não foi feita? Ainda não apareceu este homem honrado ou o dinheiro já foi para o beleleu para pagar campanhas políticas ou comprar aliados?
Consultando vários engenheiros todos foram unânimes, os custos para se construir uma estrada beirando um rio cortando manguezal, construindo pontes é muito maior que construí-la por um local já sedimentado.
Mais acontece o milagre das desapropriações para duplicar a estrada de Curcurana as indenizações terão que ser justas e transparentes, já pelo mangue, destruindo viveiros, berçários naturais, pode-se dizer que pagou mil, quando na verdade o custo foi de dez e todo mundo vai encher os bolsos, do empreendedor ao deputado.
Por onde passará a estrada vicinal?
Quando será que vai aparecer este homem honrado para gerir o dinheiro do PAC e tirar esta estrada do papel evitando tantos trastornos aos cidadãos, que poderiam utilizar a ponte do Paiva mais devido o preço (verdadeiro assalto), não permite que os usuários a utilizem no dia a dia.




Apenas para se ter uma idéia do assalto:



Pedágio Ponte Rio Niteroi - 4,30 - 13 quilometros



Pedágio Ponte do Paiva - 3,30 - 5,50 - 320 (METROS).



É inadmissível chamar isso de roubo. É assalto!